Time

há umas noites, tava na cama e tive uma daquelas ideias de merda, meter-me a ler sobre algo que me espera daqui por uns anos (menopausa, pronto!!). apercebi-me que à velocidade que o tempo está a passar, não tarda tenho esta história a bater-me à porta.. e fui subitamente atingida por uma onda de puro terror..

tive à beira de um ataque de pânico, ainda hiperventilei um bocadinho, ao pensar que estou a queimar os últimos cartuchos da vida (exagero eu sei, mas foi o que senti naquele momento), e ainda há tanta coisa que quero fazer e conhecer, e o tempo foge-me por entre os dedos como grão de areia, e não quero posso deixar para muito tarde, porque depois sei que vai-me faltar energia..

..bela maneira de queimar uma noite de sono!

cheira-me que tive um chilique de meia-idade.. pelos vistos não acontece apenas aos homens. a ideia que a nossa juventude está-se a esvair e não há nada que possamos fazer quanto a isso é horrenda.. e eu tenho um medo terrível de envelhecer..

para além de ter dificuldades em acreditar (e aceitar) que tenho a idade que tenho, a minha percepção do tempo está meio avaria. não consigo senti-lo nem dou pela sua passagem, mas ele está a passar estupidamente rápido.

parece que cada vez que pestanejo, passa um mês.. ainda há uns dias fui ao porto buscar a gata, não tarda muito está com a mesma idade do furas quando nos deixou.. não consigo medir o tempo. cinco anos parecem um eternidade, mas passaram a voar de uma forma assustadora.

será porque medimos o tempo pelos acontecimentos, e as rotinas que seguimos tornam os dias iguais, sem grandes novidades dignas de registo, e o nosso cérebro simplesmente ignora as coisas repetitivas? ou será que a percepção do tempo é mesmo relativa, e vai mudando conforme vamos ficando mais velhos?

não me sinto velha, não acho que pareça muito mais velha do que estava há 10 anos atrás. nem são os cabelos brancos e a flacidez da pele nalgumas partes do corpo que mais me incomoda.. é o caruncho que se entranha cada vez mais. noitadas ou poucas horas de sono mandam-me completamente ao tapete. as dores no corpo que surgem com mais facilidade e demoram mais tempo passar. sinto-me mais "pesada", e já custo levantar-me do sofá ou sair do carro, embora suspeite dos anos sedentarismo sejam os grandes culpados - algo ainda posso tentar reverter, mas já não tenho propriamente todo o tempo do mundo ou energia, como achava que tinha aos 20 e a vida me parecia uma eternidade.

news flash, não é!

nunca a time dos pink floyd fez tanto sentido...

18 de Abril de 2017, às 00:23link do post comentar