Cró

no ano passado, quando andamos a explorar a beira baixa, íamos a passar pelo meio de nenhures, quando topamos um edifício com uma arquitectura demasiado moderna plantado naquele cenário bucólico, e ficamos com a pulga atrás da orelha.. 

cró

não tardamos muito a descobrir que era um hotel.. com termas.. opá, temos que voltar cá e experimentar isto!!

até nem demorou muito tempo. aconteceu quase por acaso, no segundo fim de semana de abril. como ficamos fãs do longroiva hotel, que pertence ao mesmo grupo, tratamos de arranjar oportunidade para conhecer o outro (este!) também.

sinal que estamos a ficar velhos: a perspectiva de passar um fim de semana numa espécie de estância termal é muito apelativa lol marcamos estadia, e marcamos logo os tratamentos, para não chegarmos lá e já não haver vagas, como de costume.

no sábado fizemos um esforço sobre-humano para sair de casa cedo, de modo a aproveitarmos bem o fim-de-semana. ao meio dia estávamos a sair de lisboa. mesmo assim conseguimos sair uma hora depois daquilo que era suposto :P e com o tempo miserável que estava, fazia apetecer ainda mais passar o fim-de-semana enfiados num hotel com spa. mesmo que demorasse três horas e meia a chegar até lá.

o check-in começava às 4 da tarde, mas não foi preciso esperar, deram-nos logo acesso à nossa suite no terceiro andar. mal entrei na suite fui directa ao wc, inspeccionar se a banheira era aquilo que me tinha sido prometido..

E ERA!!! hi hi hi hi mais uma banheira de hotel à maneira prá colecção \m/

quartosuite suite

a suite era adorável, minimalista mas bastante acolhedora, toda forrada em madeira, com uma pequena sala de estar e um terraço. mas a jóia da coroa foi mesmo o wc, em cimento envernizado, com a banheira integrada ao nível do chão, separada do quarto por um vidro. o lavatório também estava integrado na parede, e a sanita estava num compartimento à parte. fiquei apaixonadíssima pelo wc :D

fomos fazer uma buchinha, e depois siga prá piscina. as comparações com a da longroiva foram inevitáveis: a outra tinha a água mais quente, e por ser a céu aberto, era muito menos ruidosa. a cúpula daquela é brutal, mas faz muito eco. mas era muito maior, e tinha mais pontos de massagem. bem fixe para quem tem os músculos dos ombros e das costas todos faralhados.

às cinco e meia chegou a hora dos tratamentos. o homem ganhou o pedra/papel/tesoura e foi o primeiro a experimentar o duche vichy. eu fiquei 15 minutos a demolhar numa banheira de hidromassagem. quando voltei a vê-lo, vinha a queixar-se..

ele: "porque é que não experimentamos isto do duche vichy mais cedo?"
eu: "porque somos parvos?"
ele: "da próxima marco duas sessões de seguida!"

de facto, aquilo é genial. uma massagem enquanto estamos debaixo de um spray continuo de água quentinha. opá!! 12 minutos não é definitivamente tempo suficiente..

dali fomos descansar um bocadinho para o quarto antes do jantar, mas o homem tava de apetites a banana, e queria ir à procura dum supermercado. vai daí, fomos até ao sabugal a 14km dali, à caça de bananas. quando regressamos, o jantar já decorria. a má noticia é que havia música ao vivo, e a produzir demasiado barulho para uma refeição que se quer feita com sossego. mas tava incluído no pacote, lá teve que ser.

apesar do barulho (sim, aquilo não era música, era ruído), a refeição foi fixe. como era buffet, acabei por comer mais do que queria.. já não estou habituada a comer muito à noite, não gosto de me sentir empanturrada. vá lá que tive a feliz ideia de trazer água com gás do supermercado \m/

no dia seguinte tivemos que acordar demasiado cedo para tomar o pequeno-almoço, porque tínhamos cenas marcadas no SPA às 10:30. e eu não queria ir de barriga muito cheia. não gostei particularmente desta ideia, ia-me roubar hora e meia ao quarto. mas passamos na recepção e eles foram porreiros e deixaram-nos fazer late check out. yay!! off to the termas!

a bela da massagem. eu a tentar relaxar na marquesa durante uma hora, enquanto uma terapeuta me untaria toda com um óleo qualquer, e realizaria milagres pelos meus tendões ensarilhados. claro que o meu cérebro não aprovou a ideia, e deu-me uma panóplia de pensamentos encadeados muito engrassada. lembro-me de achar que tinha ali material para um post ou dois. pena que não retive nada. só me lembro que às tantas consegui distrair o cabrão, porque topei um padrão na músiquinha zen, e ele ficou encravado ali, a tentar perceber onde começava e terminava o loop da música. uma hora a ouvir exactamente o mesmo. lamento a sorte das terapeutas e têm que gramar aquilo o dia inteiro..

agora por isso.. acho que quando andar sem inspiração aqui pró tasco, vou fazer uma massagem, aquilo ajuda-me a desbloquear as ideias muhahahah

depois 15 minutos de banho turco! TÃO BOM! fdx, adoro banho turco!! e aquele, não estava muito quente e tinha aroma a eucalipto. bliss!!!!

...e porque o relógio não pára, rapidamente chegou a hora de termos que nos despedir do nosso rico quartinho. mas tínhamos muito terreno para desbravar, a começar logo ali ao lado, pelo antigo complexo termal, agora em ruínas.

termas antigas termas antigas
termas antigas ribeiro do cró

Summer of 16 // a massagem

desengane-se quem pensa que a malta com papel não faz figuras foleiras.. como aquela família da mesa ao lado, que passou o pequeno-almoço sorrateiramente a preparar o almoço e o lanche daquele dia. aliás, não vi poucas pessoas acompanhadas por mini-lancheiras. às tantas uma pessoa até se sente parva por não fazer o mesmo :/



e ainda com o pequeno-almoço a acomodar-se no estômago, eis que chega a hora da massagem.

como costume, o homem quis ser trucidado e marcou 10 (o máximo) no campo da intensidade da massagem. eu fiquei-me por um 7. não me apetecia sair dali com nódoas negras, e deixar as pessoas a pensar que o meu esposo é daqueles que gosta de  arrear porrada na mulher.

é suposto descontrairmos e tal e coisa, mas o meu cérebro não deixa. passa os 50 minutos a trollar-me. tipo, "eina ca'ganda seca.. toma lá pensamentos parvos para te entreteres. quem é amigo, quem é?". é que nem me deixa descansar..

começa mal aterro na marquesa. “jasus, esta musiquinha zen é lame que arrepia.. porque não sons da natureza, como o oceano a enrolar-se preguiçosamente na areia, ou uma pequena cascata, num bosque frondoso onde ecoa o canto melodioso dos pássaros, ou chuva a cair em cima das folhas carnudas das plantas tropicais? qualquer uma dessas opções relaxava mais que esta bodega";

enquanto a massagista se prepara para meter-me as mãos em cima. "estômago amigo, por favor, poupa-nos à canção do teu povo" (o gajo começa a gorgulhar sempre que estou de papo para o ar e comi há pouco tempo. no fundo, gosta de me fazer passar vergonhas perante outras pessoas. é um cabrão);

a massagista ataca as pernas. “crap.. tenho o pelame todo a despontar, parece lixa. espero que a moça não se importe do tratamento não solicitado de dermo-abrasão que está a receber nas suas delicadas mãos”;

ou então importa-se. “socorro!! esta mulher tem rolos de massa no lugar dos braços!! estou a ser completamente cilindrada. mais um niquinho de pressão e deixo de conseguir conter os gemidos que estão caçados na goela.. será que trocaram a folha do homem com a minha? eu pedi 7, não 10!!”;

nos intervalos da tortura. “ena! tão minuciosa ca'té vai até à ponta dos dedos. ainda bem que cortei as unhas ontem, se não pobre da moça ficava toda esquartejada" (as minhas unhas são inacreditavelmente rijas. e a água salgada ainda as endurece mais. foi preciso estar uma hora de molho na piscina morna para conseguir contá-las. não estou a brincar, eu corto-me nas minhas próprias unhas!);

hora de virar, cara enfiada no buraco. “olha que toalha tão estrategicamente bem posicionada. se me babar ou pingar do nariz, ninguém vai reparar na poça por baixo da mesa” e pouco depois. "hum..espero que ninguém vá usar esta toalha, eu não queria usar esta toalha!!". e já mais pró fim. "man.. vou ficar a tarde toda com marcas na cara. todàgente vai reparar nisto e rir-se de mim nas minhas costas".. not funny!!

sabem o que não é nada fixe depois de uma hora de massagem, num ambiente calmo, com música serena (ainda que lame), do qual saímos meio dormentes e assim queremos permanecer por mais umas horas. sabem? putos aos berros na piscina/lounge do spa. o spa permite crianças em determinado horário, foi uma novidade. não teria sido chato se os putos - bebés, um deles mal andava, não estivessem constantemente a testar a acústica do espaço, e a correr à volta da piscina e a mandar bombas para dentro de água, e os pais a gritarem ainda mais alto para eles sossegassem. mas o que achei mesmo piada (NOT!), foi ter visto estes pais, a meter com os filhos ainda bebés - um deles mal se segurava nas pernas, já disse não já, no banho turco. no banho turco?? troféu de pais do ano para estes dois, já!!

essa tarde foi passada perto do barril, a curtir a paisagem da ria e a aproveitar todos os segundos dentro daquela água deliciosa. as ondas estavam de volta, mas à maré cheia, a praia faz um efeito de tanque. a um metro da rebentação já mal temos pé, muita fixe para dar mergulhos da areia. há fotos disso, mas devido à ausência de trajes mínimos, não podem ser publicadas muhahaha

to be continued...

Um natal diferente

decidimos, eu e o marido, oferecer-nos a nós próprios uma escapadinha especial. então no domingo, apontamos a bússola para norte, e fizemo-nos à estrada.
tínhamos pela frente 486km até ao nosso destino: melgaço!

chegamos por volta das seis da tarde, completamente de rastos, e depois de conhecermos as instalações, fomos saber como era do spa, para programarmos as actividades: massagens e banho turco! ah poizé!
depois do jantar, no restaurante do hotel, fomo-nos enfiar no jacuzzi, mas aquilo nem por isso estava muito quente.. não demoramos muito até sair de lá e ir encher a banheira do quarto he he he

hotel relaxing hotel hotel
       
hotel hotel wc a room with a view


na segunda comecei o dia no spa do hotel com uma massagem relaxante. fazia mais sentido se a tivesse recebido o dia anterior depois de ter conduzido 500km, mas pronto, foi bom à mesma. depois fiquei à espera que o marido recebesse a dele, e fomos dar uma volta pelas redondezas, sem antes (como bons tugas que somos) termos ido atestar a viatura em território espanhol. andamos por terras e terriolas, subimos e descemos montanhas, e apanhamos um frio desgraçado, a pesar do sol que estava. muito fixe!

a caminho de s. gregório serras peneda peneda


depois seguiu-se o jantar de natal. quando lá chegamos, a sala tava cheia de malta...casais sozinhos como nós eram muito poucos, nós e outro casal, que pela conversa era o segundo natal consecutivo que lá passavam.
a comida era à fartanzana, comer até não aguentar mais: entradas, pratos principais, sobremesas, late nite snacks no bar. à maneira.

depois chegamos ao quarto e tinham ido lá deixar-nos um presente, uma pequena lembrança do hotel. adorei o pormenor :)

a parte mais divertida foi que nos empinocamos a rigor para a janta só porque sim!
eu, de vestido preto, encharpe, e saltos, e o marido, de calças de fazenda, camisa, pullover e sapatos dignos desse nome, completamente o oposto do nosso wardrobe habitual lol. e tal como eu esperava, para além de ter rapado algum frio durante o jantar, não conseguia andar (por causa dos sapatos) sem parecer que tinha alguma deficiência nas unhas dos pés, tinha que andar agarrada ao marido...que vergonha :P

na terça, depois do pequeno-almoço, começamos a arrumar a tralha, pois tínhamos o banho turco reservado para as 11h, um bocado em cima da hora de check-out...
somos fãs daquilo desde a primeira vez que entramos num e ainda nunca tínhamos apanhado um tão bom como aquele. ficamos maravilhados, para além da sala que era espectacular, em pedra preta e com água fria no chão, tinha um pormenor que me agradou imenso, o vapor trazia mentol, que facilitava e muito a inspiração. normalmente sinto alguma dificuldade em respirar lá dentro, mas assim foi muito mais fácil, aguentei os 20mn sem problemas :)

depois fizemo-nos à estrada, rumo sabe-se lá onde, só sabia que queria atravessar a serra da peneda. o sacana do dia é que nos estragou os planos... choveu desde que nos enfiamos no carro até perto da estação de serviço de santarém...
as nuvens e a chuva minaram qualquer tentativa de fotografar aquelas paisagens lindas da serra... soube-me a pouco, portantos, penso lá voltar dentro em breve.

peneda barrosã peneda peneda


notas finais:

- os três dias passaram rápido demais...
- da próxima vez que voltar ao hotel, não esquecer de por na mala para além dos chanatos, roupões e toucas de banho (uso obrigatório na piscina interior), pois essas coisas são pagas à parte :P...
- nem sei como é que o chasso se aguentou...fez mais de 1000km em três dias (600 só num deles).. quando andava lá perdida no meio da serra, tremia só de pensar que aquilo se ia abaixo lol
- começar a levar lanchinhos nas incursões em território desconhecido...
- sobrevivi, inteira, sem um arranhão, à A1 em dia de regresso a casa. pelas atrocidades que vi na estrada, nem sei como foi possível... cheguei à conclusão que existem mas é poucos acidentes, há gente que merece esfrangalhar-se toda, a ver se aprendiam a ter mais juízo nas putas das cabeças...a sério!
- foi a ultima vez que dependi dum mapa para me orientar em sitios estranhos...não me perdi, mas foi stressante...
- o dia 25 é um dia desértico...tá tudo, tudo, tudo fechado :P

078 - Levar uma massagem profissional num SPA que dure pelo menos uma hora

...durou 45mn, corpo inteiro, com tudo a que tive direito, mas não me chegou! quero mais!!! hi hi hi

o marido também alinhou e confessou-me que foi a experiência mais gay que já teve...LOL! eu tenho ali guardada de recuerdo a tanguinha que ele teve que vestir lol muito bom!

26 de Dezembro de 2007, às 21:29link do post comentar

'Le me

tem idade suficiente para ter juízo, embora nem sempre pareça. algarvia desertora, plantou-se algures na capital, e vive há uma eternidade com um gajo que conheceu pelo mIRC.

no início da vida adulta foi possuída pelo espírito da internet e entregou-lhe o corpo a alma de mão beijada. é geek até à raiz do último cabelo e orgulha-se disso.

offline gosta muito de passear por aí, tirar fotografias, ver séries e filmes, e (sempre que a preguiça não a impede) gosta praticar exercício físico.

mantém uma pequena bucket list de coisas que gostava de fazer nos entretantos.

de resto, é ler o blog :D

'Le liwl

era uma vez um blog cor-de-rosa que nasceu na manhã de 16 de janeiro, no longínquo ano de 2003, numa altura em que os blogs eram apenas registos pessoais, sem pretensões de coisa alguma. e assim se tem mantido.

muitas são as fases pelas quais tem passado, ao sabor dos humores da sua autora. para os mais curiosos, aqui ficam screenshots das versões anteriores:
#11 #10 #9 #8 #6 #5 #4

follow us in feedly  Seguir nos Blogs do SAPO

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.