A canjinha do marido!

à cause de ter levado com AC gelado nos costados durante umas horas, fui apanhada por uma contipaçãozeca daquelas de trazer por casa, mas que ainda assim, chateiam. vai daí, ontem à tarde tava assim um bocado esmorecida, queria era sopas e descanso, a ver se a porca se sumia.

 

não tava com grandes ideias nem apetites para o jantar, então lembrei-me das canjinhas reconfortantes que o marido faz, quando ando avariada do estômago.

 

era isso mesmo, uma canjinha!
 

e o marido, que é um bom marido, acedeu ao desejo prontamente!

 

soube-me pela vida, de tão boa que estava. enquanto me alambazava com o caldinho delicioso, prometi-lhe um post em honra da canjinha dele!

é um prato que toda a gente deve saber fazer (menos eu que nunca fiz :D), mas ele merece he he he

 

cá vai!

 

segundo o marido, para 4 taças:


- +/- 2 litros de água; 

- 3 ou 4 pernas de frango (depende do tamanho);

- 1/2 chávena de chá de arroz ou massa pevide;

- 1 cenoura;

- 1 cebola;

- 1 colher de sopa azeite;

- sal a gosto;

- hortelã;

 

ele diz que faz tudo a olho, e é qualquer coisa como isto: 

 

pega num tacho e põe a água ao lume;

corta as patas das pernas de frango para fora, e dá-lhes uns golpes;

corta a cebola aos bocados e mete dentro da água a ferver;

tira a pele da cenoura, e corta-a como quem afia um pau para dentro do tacho;

junta o frango, um bocado de sal, o azeite e mexe tudo.

passado um bocado, tira as pernas, e põe a massa ou o arroz;

entretanto tira as peles ao frango, desfia e volta a por no tacho; 

mexe de vez em quando, e ajusta o sal, se necessário;

um bocadinho antes de apagar, junta um raminho de hortelã e tá feito!

 

nota do chefe: diz que não controla tempos, vai provando o caldo e trincado a massa (ou arroz) para saber quando está pronto.

 

é sabe mesmo bem quando estamos meio afanados :D

23 de Dezembro de 2011, às 23:48link do post comentar

Susto..

no mês passado fomos com o furacão ao veterinário. consulta de rotina para ver como é que ele se está a portar.

 

a ultima vez que o vet lhe tinha posto os olhos em cima foi em fevereiro passado, quando ele começou com os ataques motivados pela doença no pâncreas. desde essa altura que está a ser medicado duas vezes ao dia, e tem-se estado a aguentar, algo que eu não tinha gandes esperanças. 

 

nem eu nem o vet, que ficou deveras surpreendido de vê-lo com tão bom aspecto. segundo ele, não se lembra se alguma vez viu um furão tão velho (7 anos e meio) com os problemas que tem (pâncreas, coração, adrenal, baço) com tão bom aspecto. à parte das presas gastas e amarelecidas, e de cataratas num olho, ele está impecável. continua com um pelinho espectacularmente denso e brilhante, e com apetite voraz, nada típico de um furão com tanta maleita.

 

o vet acha que ele tá-se a aguentar tão bem por causa dos cuidados que temos tido com ele. por acaso temos feito tudo o que está ao nosso alcance no que diz respeito à saúde dele. consultas de rotina com analises, rx, ecografias a tudo o que é possivel fazer, o que nos tem permitido apanhar doenças em fases iniciais e dar-lhe tratamento adequado (implante, beta-bloqueadores, prednisolona).. enfim, umas valentes pipas de massa por um animal tão pequeno. mas não costumamos olhar às despesas, se é pelo bem estar dele, siga!

 

a minha maior preocupação quando lá estive é se ele estaria a sentir dor, mas o vet achou que não. e se come e faz as necessidades como normalmente, é bom sinal.

 

só houve uma coisa que ele nos disse que me deixou preocupada. que estes gajitos agarram-se à vida com um força fora do comum e é frequente os donos terem que tomar decisões difíceis, porque eles simplesmente não se deixam ir..

ontem de madrugada tivemos a prova vida disto.

 

seriam umas duas e meia da manhã ouvimos um grito aflitivo vindo do quarto, parecia quase um gato assanhado a lutar com outro. fomos ver o que se passava e encontramos o bixo num estado que nem sei bem como descrever.. parecia que o estavam a matar. ginhachava, contorcia-se todo.. tanto que era difícil agarra-lo.

 

trouxemo-lo para a sala e ficamos a segura-lo no lugar enquanto ele tinha ataques sucessivos, completamente diferentes daqueles que estávamos habituados. durante duas horas, o bixo parecia literalmente que nos estava a morrer nas mãos. de certeza absoluta que estava a sofrer com dores excruciantes...mas àquela hora era escusado chatear o vet dele.. leva-lo a um vet normal também não era opção porque não sabem o que fazer com eles..

 

por volta das cinco e meia da manhã acalmou finalmente. mas não tinha reacção, o corpinho delgado dele estava hirto, não se mexia, apenas ofegava e lamentava-se. pensamos mesmo que estávamos a perde-lo..

 

deixamo-nos dormir na sala com ele ao lado. quando acordamos de manhã cedo, ele continuava deitado na mesma posição, vivo! 

finalmente aceitou água e tomou logo a medicação, a qual engoliu como se estivesse esfomeado.

 

passado algumas horas estava a fazer a vida habitual: comer, sujar a casa de banho, e andar a entrar e sair de dentro do sofá. está aparentemente normal e sem indícios do que se passou na noite anterior.

 

...realmente são mesmo uns animais com uma capacidade de recuperação incrível. mas segunda temos que melgar o vet, tenho cá para mim que isto é capaz de se repetir..

10 de Setembro de 2011, às 18:40link do post comentar ver comentários (2)

E tudo o laser levou..

hoje fui FINALMENTE remover uma treta que tinha praqui no pescoço. um pequeno quisto sebáceo que deu pró torto e transformou-se em algo esquito, cujo nome não consegui fixar, e que já me andava a chatear há demasiado tempo.

 

tava com algum receio, mas o procedimento foi ultra-simpes: cheguei à sala e mandaram-me deitar na marquesa, o médico (espetacular, o homem!) aplicou uma anestesiazeca local que pegou em segundos, cortou o excesso da coisa para fora e andou prali a queimar o resto com um laser. aquilo nem 5mn demorou e não doeu nadinha, nem cheirou a queimado como da outra vez que tirei um sinal. não sei porque é que não fiz isto mais cedo :P

 

agora tou proibida de meter ali as unhas para não arranjar nenhuma complicação.. tou mortinha para ver o resultado, a ver se não deixa grande cicatriz :)

4 de Julho de 2011, às 23:02link do post comentar ver comentários (6)

Senhor doutor, tenho uma dor..

o médico de medicina geral que me calhou na luz é um amor de pessoa (assim como a maioria dos médicos que lá tenho apanhado). faz-me esperar horas pelas consultas, mas a simpatia do homem desarma-me assim que entro na sala. i kid you not, até apetece fazer festinhas. é um querido.

 

vou lá, faço as queixas do costume, ele examina-me, a mim e ao meu historial completo, e manda-me fazer shitloads de exames e análises. 
nunca encontra nada de anormal e é aí que está o problema, porque se eu sentisse que estava tudo normal, não estava constantemente lá metida, a queixar-me sempre do mesmo. acabo por sair de lá mais frustrada do que entrei.

 

à quinta consulta que tenho com ele é mais do mesmo.. não sei se lá volto..

16 de Maio de 2011, às 13:47link do post comentar ver comentários (4)

Uma semana depois...

...as disputas pelo trono estão ao rubro!

 

faço ideia onde é que aquelas putas daquelas ameijoas andaram...chiça, é que nem eu nem o marido temos memória de termos apanhado tal coisa em toda a nossa vida :P 

3 de Abril de 2011, às 14:12link do post comentar ver comentários (2)

É oficial...

...nunca mais na vida como uma puta duma amêijoa que seja!

 

incontáveis, os encontros imediatos que tive com a minha rica sanita durante 12 horas seguidas.. nem água o raio do estômago conseguia segurar lá dentro, não imaginava ser possivel vomitar tantas vezes de seguida e sem ter absolutamente nada dentro.
depois juntou-se o marido à festa... toma lá que é para aprenderem a não se lavajarem com marisco de merda!

 

resultado: acabamos os dois no hospital. eu apenas precisei medicação intravenosa apesar de já estar com sinais de desidratação, e vim para casa com uma dieta de medicamentos e proibida de comer uma data de coisas durante os próximos dias, e o marido, para além da medicação, ainda teve que fazer análises e papar uma litrosa de soro..

 

PQP!

29 de Março de 2011, às 20:35link do post comentar ver comentários (6)

De volta ao vet

dois dias depois de regressarmos de férias, começamos a notar que o rabixolas andava um bocado esquisito.. arrastava-se demasiado, mal comia, não dava mimos.. pensamos que poderia ser do calor, mas quando lhe metemos a "piscina" cheia de água à frente, ele em vez de enfiar o focinho lá dentro e fazer o "submarino" como de costume, deitou-se ao lado, com um ar muito aborrecido...
achamos que não podíamos adiar a vista ao vet por mais tempo.

apesar de eu não ter estômago para estas coisas, calhou-me a mim ir tratar do assunto. fui com ele para oeiras, para não estar a esperar mais um dia e deixar piorar as coisas.

o vet mal pegou nele para apalpa-lo disse logo que o baço tava inchado, sinal que algo de mau se passava. depois foi anestesiado para fazer analises de rotina ao sangue e rx.

os valores das análises estavam mais ou menos normais, e o rx confirmava o baço bastante inchado e mostrava o coraçãozito aumentado dele, que o vet sugeriu logo nova eco (à espera de marcação).

para tentar identificar a origem do problema, segue-se uma coisa que eu espero não voltar a assistir tão cedo: um esfregaço rectal. 
três pessoas a segurar naquele caganito. ele gemeu, contorceu-se, mijou-se e cagou-se todo. coitado do animal... só não foi mau de todo porque acabou por fornecer ao vet "material" para lhe diagnosticar uma inflamação nos intestinos. 

tratamento: antibiótico durante uma semana...

primeira tentativa: administrar o antibiótico oralmente (com uma seringa). 
o vet avisou logo que ia ser complicado e que ele não ia gostar nada daquilo, e o que se seguiu foi a coisa mais cruel que já vi acontecer àquele bicho... ele não só ODIOU o antibiótico e cuspiu-o até à ultima gota, como se trincou todo. às tantas já espumava e sangrava da boca, deixava-se cair e batia com a cabeça por todo o lado.. ele completamente desorientado e eu completamente horrorizada.. nunca antes o tinha visto em tamanha agonia e só perguntava ao vet se ele não tinha trincado a língua, porque só via sangue em cima da marquesa...

a única solução era dar-lhe o antibiótico por injecção intradérmica. vá lá que disso ele não se queixa...

durante uma semana fomos todos dos dias com ele a caminho da clinica levar o antibiótico. o mais interessante do processo é que se conseguiu notar perfeitamente os progressos a cada toma. cada dia que passava parecia mais um bocadinho animado e comia melhor, até ao culminar, que foi voltar a ir ter connosco à cama chatear-nos hehehe

entretanto ainda não voltou ao vet, mas aparentemente parece estar bem, pelo menos anda bem eléctrico (quando está acordado). e espero que assim continue por mais uns tempos.. não gosto nada de ter que submete-lo à tortura do vet (que é um bom vet) :P

15 de Julho de 2010, às 01:41link do post comentar ver comentários (2)

Mental note

da próxima vez que me meter em caminhadas num dia de sol e não usar chapéu, NÃO ESQUECER DE METER PROTECTOR SOLAR NA CARA, plo amor da santa!

por causa da brincadeira de domingo, tenho o nariz literalmente assado e mais qualquercosinha (a dobrar) muito desagradável que costuma a aparecer quando apanho muito sol na cara...bem FEITA!

:P

19 de Maio de 2010, às 23:56link do post comentar ver comentários (3)

Em que é que ficamos?

na quinta passada não acordei muito bem, e durante o dia a coisa piorou. era quase certo que tinha apanhado uma gripalhada qualquer. pelo menos os sintomas tavam lá: um ou outro espirro, tosse, dor de garganta, ranhoca, cansaço, dores musculares, olhos húmidos, e alguma febre.
não seria de estranhar, pois uma boa parte dos colegas andavam-se a queixar do mesmo e alguns já estavam de cama...

pensei que desta vez não escapava..desde há 5 anos que não sei o que é ter uma gripe daquelas mazónas. todos os anos costumava apanhar uma, até que decidi vacinar-me. só o fiz uma vez e nunca mais vi nenhuma.. até agora..

como de costume quando ando assim mais arriada, tento comer qualquer coisa aconchegante (desta vez saiu canjinha), vou suar um bocado para debaixo do cobertor na sala, e antes de me deitar, bebo leite chá bem quente, de depois transformo a cama numa sweat lodge.

acordo sempre fresca!
da febre nada, a tosse e a garganta continuaram a chatear, assim como as dores musculares, mas lá mais pra noitinha, até isso passou (as dores passaram com um benuron lol).

no sábado acordei outra vez em baixo..o mais certo era que se tivesse tido alguma coisa a ver com os abusos da noite anterior, na jantarada da PT, mas no domingo não pus o pé fora de casa e voltou tudo ao normal...

e pronto..provavelmente nunca saberei se era gripe ou outra coisa qualquer que andava a tentar a sorte :P

22 de Dezembro de 2009, às 03:00link do post comentar ver comentários (1)

Algum dia teria que ser...

o furas não tem andado bem...

na terça notamos que não conseguia ir à casa de banho e ficamos preocupados, podia ser algum bloqueio nos intestinos, alguma coisa que ele tivesse comido que não devia.
levamos o gajo à clinica de urgência. o vet que lá estava não percebia de furas, mas rx feito e ao telefone com o nosso vet lá chegaram a conclusão que podiam ser as glândulas anais que estavam obstruídas e ele não conseguia fazer cócó por causa das dores.. vazar as glândulas foi de longe a coisa mais cruel que já fizeram aquele bixo, pelo menos acordado.. tive que sair da sala, mas ouvi-o.. o marido ficou lá a segura-lo, e não saiu de lá com boa cara, e não foi só por causa do cheiro nauseabundo que saiu do cú daquele pobre animal...

na quarta achamos que não o devíamos deixar sozinho porque ele tava mesmo muito estranho. apático, meio desorientado, fraco, e parecia que estava com diarreia.
o marido ficou a trabalhar em casa para poder vigia-lo. a única coisa que conseguiu faze-lo comer foi carne de peru. água teve que ser forçado a beber, e cócó.. tá quieto.
à noite fomos comprar malte, a ver se servia de alguma coisa.. lá prás cinco da manhã, foi finalmente fazer uma caganita e comer ração. depois enfiou-se na cama comigo, o que só por sí é bom sinal :)

esta manhã estava estranho. batia com o focinho em todo o lado, parecia que não sabia por onde andava e parecia ter palpitações na barriga..
não conseguia ve-lo assim durante mais tempo e à tarde levei-o a oeiras, ao vet dele, para ser visto e apalpado e essas coisas todas..

a coisa começou bem..com os resultados do exame de despiste da doença adrenal, que já tinham chegado das americas e que acusaram positivo...
só não me caíram os tomates quando o vet me disse que ele tinha a doença, porque não os tenho, e no fundo, já esperava aquele resultado..

a boa noticia é que foi detectado muito cedo, a má noticia é que mesmo assim, o melhor a fazer é operar e extrair as glândulas. a outra solução era levar injecções todos os meses até ao fim dos dias dele, mas sem resultados garantidos, e com um preço a pagar mais elevado..
e ele podia viver com a doença? até podia. mas não quero o meu furas careca e em pele e osso..não, aquele peludo é demasiado precioso!

depois foi examinado. o gajo até parece que gosta daquelas apalpadelas todas, pois nem se mexe. depois o vet teve a ver o rx que tiramos na terça, e decidiu fazer analises ao sangue. mais uma anestesia..a 3ª num mês :(

quando acordou da anestesia, deu duas voltas ao gabinete, escolheu o canto que mais lhe agradou, e pimbas, sai um belo dum biscoito fumegante pra mesa 5! o primeiro que vejo desde o fim-de-semana!
não sei se foi a coisa que se compôs por obra e graça do menino jesus, se foi o malte que lhe demos, se as massagens que levou do vet, mas desentupiu..

aparentemente, tá tudo dentro da normalidade.. não se entende a falta de vontade de ir à casa de banho ou a apatia/desorientação que ele tem tido (a não ser que sejam já sintomas da doença adrenal)... é esperar e reportar qualquer comportamento mais estranho... o que vale é que sejam nove da manhã ou nove da noite, o vet está contactavel..

14 de Maio de 2009, às 22:50link do post comentar ver comentários (11)

'Le me

tem idade suficiente para ter juízo, embora nem sempre pareça. algarvia desertora, plantou-se algures na capital, e vive há uma eternidade com um gajo que conheceu pelo mIRC.

no início da vida adulta foi possuída pelo espírito da internet e entregou-lhe o corpo a alma de mão beijada. é geek até à raiz do último cabelo e orgulha-se disso.

offline gosta muito de passear por aí, tirar fotografias, ver séries e filmes, e (sempre que a preguiça não a impede) gosta praticar exercício físico.

mantém uma pequena bucket list de coisas que gostava de fazer nos entretantos.

de resto, é ler o blog :D

'Le liwl

era uma vez um blog cor-de-rosa que nasceu na manhã de 16 de janeiro, no longínquo ano de 2003, numa altura em que os blogs eram apenas registos pessoais, sem pretensões de coisa alguma. e assim se tem mantido.

muitas são as fases pelas quais tem passado, ao sabor dos humores da sua autora. para os mais curiosos, aqui ficam screenshots das versões anteriores:
#11 #10 #9 #8 #6 #5 #4

Bloglovin  follow us in feedly  Seguir nos Blogs do SAPO

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.