The (ant) empire strikes back

um ano e oito meses sem incidentes, eis que as formigas decidem voltar a invadir a nossa cozinha..

só que desta vez a invasão aconteceu em muito menor escala, que nós aprendemos qualquer coisinha com a experiência anterior. todo o conteúdo apetecível passou a ser guardado hermeticamente, até o frasco de mel. serviram-se apenas dumas migalhas de pão, que estavam por cima da bancada e no chão. elas bem que andavam pelos armários a xaretar, mas tadinhas, sem sorte nenhuma.

a gatifonga deve andar tão aborrecida da vida dela, que reparou nas rabigas. ficava uns momentos a monitorizar de perto as movimentações do micro exército... e depois esfregava-se no chão, por cima delas 😐

anyway, ratoeiras novas, praga controlada. pelo menos até à próxima ofensiva..

6 de Agosto de 2018, às 16:28link do post comentar

FFFFUUUUUUrmigas

saímos um bocadinho mais cedo do trabalho, na expectativa de uma noite calma, e aproveitar bem o descanso extra. de caminho, breve passagem pelo supermercado, para comprar umas cenas em falta para a janta.

vamos a pousar as compras na bancada da cozinha e.. e... 

FORMIGAS!!

FORMIGAS EVERYWHERE!!

WTF??

duas auto-estradas bastante congestionadas de formigas, vindas de diferentes pontos do openspace, a convergirem no armário da despensa. nem a taça da comida da gata escapou.. FFFUUUUUU!!

PQP um prédio com meia dúzia de anos e já tem formigas a entrar-lhe pelas paredes a dentro.. só não foi totalmente inesperado, porque eu já sabia que era apenas uma questão de tempo até acontecer. eu bem as vejo na rua. a elas e aos vulcões massivos donde elas brotam.

perspectivas de uma noite calma semelhantes ao destino que milhares de formigas estavam prestes levar: irem pelo cano do esgoto abaixo.

butes lá arregaçar as mangas e acabar com a festa. um massacre segue-se. esta merda custa-me, detesto ter que fazer mal a bichos. sim, até a formigas, aranhas, moscas, seja o que for.. e formigas não posso simplesmente abrir a janela e atirá-las para onde nunca deviam ter saído.

depois toca de vazar as quatro prateleiras armário, limpar aquilo tudo de formigas. aparentemente, todos os caminhos iam dar ao frasco de mel, apesar de bem fechado. como precaução, selar outras coisas que podiam atrai-las, e aproveitar para deitar fora tudo o que estivesse fora do prazo.

depois toca de ir a correr comprar armadilhas. voltar para casa, aspirar o chão, espalhar as 4 armadilhas pelas zonas mais criticas. e por fim, jantar, tarde e às más horas do costume. ao fim da noite, eram poucas as que ainda se aventuravam pela casa.

o comedouro da gata tem um pequeno rebordo à volta das taças que sempre me irritou, por dificultar a limpeza... até agora! nunca mais implico com aquilo. tem um uso extremamente prático para esta situação: enchi aquela secção com água, e pimbas! as formigas vão ter que construir uma jangada para atravessarem o rio até à terra prometida! se aquilo foi concebido com o propósito de servir de barreira anti-formigas, hats off, designers de equipamento para animais de estimação!

na manhã seguinte, as poucas que avistamos já estavam meio grogues. à falta de comida, devem ter atacado as armadilhas e aquilo já estava a fazer efeito. dois dias depois da invasão, não restam rabigas para contar a história (é por isso que estou eu a contá-la :D). aquela bodega funciona mesmo bem. só por causa das tosses vão continuar armadas mais uns tempos, pelo menos até selarmos os rodapés e garantir que elas não voltam tão cedo.

14 de Janeiro de 2017, às 00:48link do post comentar ver comentários (1)

Até prás a malditas das formigas...

....o marido é um gajo muita porreiro!

aí há uns dias ouvi-o barafustar com as formigas, tinham invadido as guloseimas do furas, mas ao que parece eram umas que ele não gosta e ele teve uma ideia:
espalhou aquela porcaria no parapeito da janela (do lado de fora claro), ao pé do que ele pensa ser uma das entradas delas.

então não é que o tráfego das rabigas desapareceu quase por completo de casa e concentram-se agora no parapeito a dar conta do banquete que o marido gentilmente lhes cedeu! é o que se chama de uma win-win situation hi hi hi
31 de Março de 2008, às 22:39link do post comentar ver comentários (1)

'Le me

tem idade suficiente para ter juízo, embora nem sempre pareça. algarvia desertora, plantou-se algures na capital, e vive há uma eternidade com um gajo que conheceu pelo mIRC.

no início da vida adulta foi possuída pelo espírito da internet e entregou-lhe o corpo a alma de mão beijada. é geek até à raiz do último cabelo e orgulha-se disso.

offline gosta muito de passear por aí, tirar fotografias, ver séries e filmes, e (sempre que a preguiça não a impede) gosta praticar exercício físico.

mantém uma pequena bucket list de coisas que gostava de fazer nos entretantos.

de resto, é ler o blog :D

'Le liwl

era uma vez um blog cor-de-rosa que nasceu na manhã de 16 de janeiro, no longínquo ano de 2003, numa altura em que os blogs eram apenas registos pessoais, sem pretensões de coisa alguma. e assim se tem mantido.

muitas são as fases pelas quais tem passado, ao sabor dos humores da sua autora. para os mais curiosos, aqui ficam screenshots das versões anteriores:
#11 #10 #9 #8 #6 #5 #4

follow us in feedly  Seguir nos Blogs do SAPO

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.