Sabes que estás a ficar velha quando... V

eu gosto muuuuuito de calor, e gosto muuuuuito de praia... mas com temperaturas acima dos 40º thanks, but no thanks!

por acaso tinha planeado ir à praia ontem, que à beira mar sempre se suporta melhor o calor insano que tem feito estes dias... achava eu! mas depois fui checkar a app de meteorologia, a ver como estava a coisa, e mudei logo de ideias.. 44º às quatro da tarde? HA HA HA!! NOPE, NOPE, NOPE!!

se quando ronda os 36º já pareço um peixe fora de água, mais 8 era a morte do artista. nos poucos minutos que estive na rua a 42/43 custava a respirar, e ao sol, a pele parecia que começava a assar.. lá aguentava horas naquela sauna. é que nem pensar!

mas acabei por ir à praia, hoje, que a coisa parecia estar ligeiramente mais "fresca". já passava das seis da tarde quando cheguei, e mesmo assim, ainda estava um calor sufocante. e a água nem por isso estava a um temperatura agradável para entrar lá dentro.

6 de Agosto de 2018, às 23:48link do post comentar(1)

De volta a terra firme

quando liguei o carro, o termómetro marcava 37ºC.. OUCH!!

outro *pequeno* detalhe sobre a minha pessoa: eu gosto muito de calor, mas não me dou bem com muito calor. é a minha triste realidade.. fico mooooooole, leeeeeenta, pesadooooona, custo a respirar, pulsam-me os miolos, tenho tonturas. eu sei lá!

ainda por cima, queríamos aproveitar aquele último dia para passear, o que significava andar constantemente a entrar e sair do carro, logo não podia ter o ar condicionado ligado nuns agradáveis 22,5ºC. acumular mudanças bruscas de temperatura é coisa para me mandar ao tapete com dores de cabeça abomináveis, daquelas que até deixamos de ver, ouvir e pensar..

..e o homem ainda estava com ideias de irmos a corvos comer pizza, porque não estávamos assim tão "longe" como tudo isso. não que não fosse fixe, mas o accuweather estava a registar 40ºC em mértola. sinceramente, não estava nos meus planos ir pró alentejo cozer-me viva!

fomos a santa luzia com intenções de experimentar o polvo da zona, mas escolhemos mal o dia, os restaurantes estavam praticamente todos fechados. se bem que com aquele calor insuportável, fome não tinha quase nenhuma. ainda assim, entramos um snack bar e marchou uma saladinha bem fresca de polvo e outra de estupeta de atum (finalmente!!!), que souberam pela vida.. isso e o meio litro de água geladinha que bebi quase de penalti.

salada de polvo salada de estupeta de atum

also, aqui ouvimos pela segunda vez no mesmo dia, que a espanholada vem para cá e só faz porcaria. ai as memórias que isto me desenterra...

não me apeteceu ir ao pego do inferno, quis continuar junto da ria, andava fisgada aos flamingos. acabámos por ir refrescar o corpo na foz do gilão, e vimos mais umas salinas. flamingos é que nem a sombra..

Untitled

depois fomos até cacela velha. ouço falar tanto naquilo que seria uma falha gravíssima andar pela zona e não visitar. achei giro, muito bem preservado, e com uma vista fantástica. mas há sítios mais charmosos, tipo monsaraz. também não me parece que haja muito para fazer senão apreciar a vista e comer. por falar nisso, há lá um pequeno tasco (pelo que me apercebi, bastante concorrido), onde a brigada do mocassin gosta de ir sorver ostras frescas da ria e comer chouriço assado.

Untitled Untitled

daqui trouxemos umas histórias engrassadas, com uma gata. esta gata.

Untitled

esta gata dormitava à sombra, provavelmente tão mole devido ao calor sufocante quanto eu. tirei-lhe umas fotos, o mais sorrateiramente que consegui, para não incomodar a soneca do bicho... mas de pouco valeu, porque entretanto apareceu um bando de tiazocas, todas histéricas. viram o gato e ainda mais histéricas ficaram.

"ai... ê a puca? ê a pucaaaa? ê mesmo a puca! oh, mas está tão grande!!!"

todas a fazer festas e a querer pegar no bixo ao mesmo tempo e a fazer aquelas vozinhas estridentes e abebézadas que causam danos irreparáveis nos tímpanos. a alfa acaba por conseguir deitar o verniz à gata, arranca-a do muro e volta-se na direcção do tal tasco, berrando e abanando o bixo no ar "oh pai, ê a puca não ê? 'tá tão grande!!"

mas a puca não tardou a perder interesse e foi largada no chão. no meio da calçada. ao sol.

com o ar mais incomodado do mundo (nem sei como não as esquartejou todas, tinha sido bem feita), voltou para o muro e deitou-se novamente.. mas não tardou muito que voltasse a ter companhia. uma família de três, pai a fotografar todos os passos do petiz. "senta-te aqui", "agora senta-te ali", "agora faz umas festinhas no gatinho, faz!", e vá de sacar fotos "oh, é tão fofinho, não é?". nisto aparece outro puto, de outra família, a querer meter as mãos em cima do gato também. o pai desse, repreende-o todo enojado "deixa o gato, tomás. não vês que está todo sujo!?”

cenas...

de regresso a tavira, com passagem por cabanas para fazer tempo até à hora de jantar. estava TANTO CALOR às oito da "noite" que não. se. aguentava! a esplanada do três palmeiras parecia um forno e fazíamos viagens frequentes à casa de banho para encharcar a tromba.


para terminar em grande, gelado no centro da cidade. estava-se maravilhosamente bem na rua. amo noites quentes, é daquelas coisas que me deixa feliz só porque sim.

Untitled

estivemos sentados à beira do rio a fazer um balanço da nossa estadia por aquelas paragens. íamos para três dias, acabamos por ficar uma semana. se isso não é um bom indicador, não sei!

desde a comida deliciosa que enfardamos; das pessoas com quem nos cruzamos e conversamos (não estou habituada a gente tão simpática, descontraída, bem-disposta e comunicativa); da pacatez daquela cidade; daquelas praias areia fina e água morna; dos dias de praia absolutamente épicos; das voltas; dos passeios de barco na ria.. fiquei perdida de amores por um algarve que julgava não existir, e espero que se mantenha assim, por muitos e muitos mais anos.

gilão

saímos de tavira por volta das dez e meia da noite, com 32ºC. uma hora depois, chegávamos à terrinha, no outro extremo do algarve, com 23ºC : /

My my, Maio

...estamos on fire, sim senhora!

os três primeiros fins-de-semana foram sempre a abrir, tás a caminho de ser o melhor maio de todo o sempre \m/

   


e se isto é o preludio do verão, este ano vai ser a loucura total :D 

18 de Maio de 2015, às 01:34link do post comentar ver comentários (3)(2)

O verão de Outubro

tenho a dizer que apreciei bastante este calor fora de época que baixou sobre nós. bem que diziam que o verão ia chegar tarde este ano :D  

por mim podia esticar-se até dezembro que não lhe fazia mal nenhum! 

 

Untitled

25 de Outubro de 2014, às 00:20link do post comentar ver comentários (1)

Caraíbas alentejanas!

tão perto aqui do quintal :D
 

comporta(porcaria de câmera, ráistaparta que nunca mais chega o dia 12 de setembro hihihihi)

 

nunca tinha apanhado a comporta num mood tão pacifico, parecia um lago. 
tava um daqueles calores que mal se aguentava, mesmo junto do mar, onde normalmente está mais fresco. pena que a temperatura da água nem por isso acompanhou as tendências.. mesmo assim, este deve ter sido o melhor dia de praia do ano. apetecia percorrer aqueles 60km de costa maravilhosa a pé.

 

e brisa quente a soprar o dia todo? mmmmmmmmmmm... bliiiisssss...

os mosquitos é que se aproveitam da situação e correram connosco da praia logo ao anoitecer... chupistas!

Dias de Vadiagem II

porque já não param comboios em alcácer do sal (QUE VERGONHA CP.. QUE VERGONHA!!) combinámos com a sis em grândola. tendo em conta que saímos de casa praticamente à hora que ela chegava, as minhas mad driving skills fizeram com que a seca não tivesse durado mais do que 20mn (também ajudou o comboio ter sofrido um "ligeiro" atraso muhahaha).

 

demos com uma galé deserta de pessoas, mas outra coisa não se esperava de uma quarta-feira, a altura ideal para crashar lá. montámos a "mansão" no nosso spot favorito e ala prá praia até à hora de jantar.

 

naquele resort alentejano a despreocupação é total e os os dias são passados entre a tenda, a praia e as instalações. basicamente: dormir, comer e cagar. o resto é o que se quiser. há quem diga que não consegue ficar o dia inteiro de cú arriado sem fazer nenhum.. epá, em nome do descanso, é sacrifício que não me importo de fazer!

 

não existem horários, não há o "temos que sair cedo da praia e ir tomar banho e vestir para o jantar", as pessoas passeiam-se por lá sem grandes pudores, mais vestidos, menos vestidos, de toalha enrolada ou robe de banho, t-shirt e cueca à mostra, chinela no pé, penteados, despenteados.. nobody gives a flying fuck, é por isso que eu gosto *tanto* daquilo :D

 

como a sis ficou connosco apenas dois dias, na sexta à tarde tivemos que zarpar rumo a grândola, para levá-la à estação. quando regressámos, o fim-de-semana tinha aterrado no parque: o nosso spot estava pejado de tendas (contámos algumas nove) e havia pessoas por todo o lado. no sábado ainda foi pior, pela primeira vez em três dias havia filas - é mais ou menos aquilo a que já estamos habituados, mas quando se vai para lá a meio da semana dá perfeitamente para perceber o fluxo de campistas.

 

na segunda o dia adivinhava-se quente. durante ao pequeno-almoço sugeri ao marido que devíamos "tirar" o dia e ir dar uma volta, que já havia três dias que não mexíamos uma palha. ele ao principio franziu a venta, mas depois concordou. então pegámos no cascas e começamos a descer a costa.

 

primeira paragem: praia de s. torpes

 

há muito que andávamos para desmistificar a temperatura das águas que banham esta praia. reza a história que a água que arrefece a central termoeléctrica é escoada para o mar ali naquela zona e vem quente. quisemos saber se era verdade.. e é mesmo. a água tava tão morninha que fui a banhos pela primeira vez este ano hi hi hi

 

a malta amontoa-se toda junto ao paredão onde sai a água, parece que estão numas termas lol (menos o efeito SPA :D)

 

a praia até é impecável. abrigada, areal extenso, água morna, ondas simpáticas.. só que.. a paisagem deixa muito a desejar. é um bocado estranho estar na praia com uma central gigantesca como pano de fundo, e se o vento tiver de feição, não escapamos à brisa que traz consigo a baforada pestilenta das chaminés das refinarias.. blargh!

 

e nesse dia aprendi um truque!

quando saímos da praia, trouxe um camadão de salitre agarrado à pele, opá... DETESTOOOOO!!!

é que não consigo vestir-me sem parecer uma histérica possuída por demo qualquer.. vai daí, lembrei-me que tinha algures por ali umas toalhitas que faziam parte do welcome kit do codebits do ano passado e limpei-me com aquilo de alto a baixo, antes de pôr a roupa em cima.. OPÁ! funcionou! 

 

mental note: andar sempre com toalhitas atrás quando se vai pá praia!

 

curta paragem em porto côvo para snackar e depois, milfontes. íamos fisgados à mabi, mas estava demos com o nariz na porta, n'a pas de gelado pa ninguém.. buááááá!!

aproveitamos para conhecer as praias ali da área, um gap no nosso repertório, mas.. não ficámos lá muito impressionados.. e como a tarde estava desagradável para estar na praia anyway, descemos mais um bocadinho e demos um pulito à zambujeira, pa beber uma água com gás ver as modas. 

depois regressamos novamente a milfontes, para ir manjar um peixinho fresco à tasca da vila. apesar de estar sempre apinhado, é um tasco que nunca desilude!

no dia mais quente do ano, decidimos ir até grândola, ao continente. távamos necessitados dumas coisas, entre elas, óleo pró cabelo... ÓLEO PRÓ CABELO!! uma daquelas coisas que jamais me passaria pela cabeça ter que usar, mas tinha o cabelo de tal forma seco (parecia os rolos de palha), que tive que torná-lo oleoso :D

Untitled 

o dia tava tão quente, mas tão quente, que o curto percurso entre o estacionamento e a loja foi uma espécie de passeio pelos infernos.. assim que entrámos... AAAAAAAAAAAHHHHHH... ar condicionado!! BLISS...

...quando saímos, completamente esquecidos da fornalha que nos aguardava ansiosamente, mal as portas se abriram à nossa frente, levámos com um bafo de calor pelas trombas que íamos caindo para trás, tal não foi o choque térmico.. fosgasssse!

 

de regresso fomos conhecer melides. passamos por ali centenas de vezes, mas ainda não nos tínhamos aventurado por lá adentro. a praia é enorme e tem um bar lounge muito porreiro, e o arrozal nesta altura do ano é magnifico. parece ser um sitio simpático :)

 

na quarta o nevoeiro invadiu aquelas paragens e o dia não estava grande coisa. já lá estávamos havia uma semana e apesar de continuarmos com vontade de ficar por ali, decidimos que estava na altura de seguir caminho. o marido apanhou um deal do outro mundo no booking e depois do jogo, pegámos na'gente rumamos a sudeste. 

 

mas o parque é de facto, brutal. experimentámos a calmaria da semana e a enchente do fim-de-semana, algo que há muito queríamos. por nós tínhamos lá ficado até ao fim das férias, mas ainda queria bater mais uns quantos sítios antes da boa vida acabar.

 

to be continued...

Até me assustei...

... quando saltou o slider do forecastfox com informação actual!

O verão tava dificil de pegar...mas pelos vistos também tá dificil de descolar...são seis da tarde, e lá fora o accuweather regista 27ºC. E a meio de Outubro!

 


Bora prá praia!

18 de Outubro de 2007, às 18:00link do post comentar ver comentários (1)

Obrigada agosto, bacano. Até pró ano!

Bem, como despedida, o agosto está a oferecer-nos uma noite realmente espectacular! Estou a adorar estes 26ºC hi hi hi

Mas atenção que o verão não acaba aqui, ainda temos mais uns bons 20 dias desta estação maravilhosa que eu tanto gosto : )))))))))))))))

Férias - parte I

(segue uma posta brutal para desenjoar hi hi hi)

Quem já tem falado comigo sobre o parque de campismo da galé, sabe que eu conselho sempre a evitar o mês de agosto por causa da confusão que é, não que tenha lá estado, mas porque me também me disseram isso...ora, mas como nós somos uns grandes avessos (ou então gostamos mesmo daquele lugar), fomos-nos meter na boca do lobo, conscientes (achávamos nós) daquilo que nos esperava!

Chegamos lá por volta das seis da tarde. Como ainda estava um calor desgraçado, fomos um bocado à praia..tava-se mesmo bem, o marido aproveitou e fez uma corridinha de 3km junto ao mar. Saímos de lá já passavam das oito e fomos tratar de fazer o jantar. Desta vez, levamos tralha e alguns mantimentos para cozinhar, pois estávamos a contar com filas intermináveis no restaurante e no snack-bar... só não haviam filas intermináveis nenhumas, o que nos surpreendeu..estava tanto movimento como da última vez que lá tínhamos estado, a meio de julho..

Nessa noite ouvimos alguém dizer que o bar da praia abria depois da meia-noite e descemos lá abaixo para confirmar a informação. Ainda não estava aberto, mas estavam lá uns putos que nos disseram que o bar abria por volta da meia-noite e meia e fechava às quatro da manhã. Não ficamos à espera, claro, e subimos a comentar que era uma ideia genial, aproveitarem aquele sitio, afastado do parque, para a malta estar à vontade depois da hora de sossego, porque diga-se de passagem, para muitos , à meia-noite, a noite ainda é uma criança..

..só que passadas algumas horas de sono fui acordada por malta que vinha da praia e arrependi-me de ter achado a ideia genial...aquela movimentação de gente para cima e para baixo, muitos já bezanos, a falar em altos berros e a gritar uns com os outros arruinou-me a noite...isso e ter-me esquecido da MERDA DAS ALMOFADAS! Que porra de esquecimento..por alguma razão que a própria razão desconhece, não consigo dormir sem  ter a cabeça elevada, e a única coisa remotamente confortável era o saco cama que era suposto servir para nos taparmos, que ficou a servir de travesseiro...e pronto, rapei algum frio nessa noite, não foi pior porque tinha o pijama..

Bem, como resultado de uma noite mal dormida, na sexta acordamos cedo. Fomos à padaria buscar pãozinho para fazer sandochas para levar pá praia e fomos tomar o pequeno almoço.
Depois de um dia dedicado quase exclusivamente a trabalhar pro bronze com direito a uma curta e fracassada sessão de bodyboard, constatamos que a calmaria começou a dar lugar à confusão, e o parque estava a encher a olhos vistos. Agosto a bater em força!
Nessa noite voltei a ser acordada por gente que vinha da praia na maior das algazarras...tive quase para ir reclamar do barulho com os monitores que andavam na ronda mas achei que era o mesmo que nada...caguei, fui dar uma mija e voltei pa tenda..aquele ruído não é nada comparado com o barulho das obras do metro e eu suporto-o de bico calado...

No sábado seguiu-se outro grande dia de praia. Tal e qual como no dia anterior, estava tanto calor que só se estava bem dentro de água, fartei-me de tomar banho, coisa-rara-nunca-antes-vista, a água estava uma maravilha!
Ainda me fiz a umas marrecas jeitosas, mas isto de se estar quase um ano sem pegar na prancha é lixado, é ter que aprender de novo, e aquelas ondinhas molengas são uma maravilha para isso he he

À noite, depois de uma churrascada valente (levamos o "it-o" atrás) fomos comer a bela da fartura. Havia musica ao vivo (uma banda de covers muita manhosa) mas aquilo já era quase meia-noite e eles anunciaram que a festa prosseguia na praia...comecei logo a ver o caso mal-parado...
Entretanto marido apeteceu-lhe uma cola mas aquilo já passava da hora e os bares já estavam fechados. A única hipótese era mesmo o da praia, então lá descemos aquilo pela terceira vez nesse dia...

A meio da descida fomos interceptados por um bando de putos, que estavam a passar os transeuntes a pente-fino...
Então seguiu-se uma cena, no mínimo, caricata...um dos putos aponta-me a lanterna (a noite estava escura e a coisa só lá ia de lanterna) e depois aponta ao marido, eu não percebi bem a conversa entre eles, mas depois ele contou-me:

Puto 1 pergunta ao puto 2 enquanto este me inspecciona: "É mula, é mula?"
Puto 2 aponta o foco da lanterna po marido:  "Ah, caga caga, tem namorado..."

..e eu a pensar que eles estavam à procura de algum amigo ou coisa assim...não, andavam à caça de gajedo da forma mais descarada que alguma vez já testemunhei!
..mas espera...mula..? MULA??? É isto que a malta agora lhe deu para a chamar às miúdas??? Argh...

Bem, uma vez lá em baixo, ficamos surpreendidos ao ver a quantidade de gente que já por lá se amontoava em grupos espalhados pela areia, à espera que a festa começasse.
O bar lá abriu e o marido foi buscar uma bebida. Depois ficamos sentados ali à beira-mar a observar o fenómeno social que estava de decorrer: os grupos já se começavam a misturar, os putos que apanhamos no caminho andavam-se a fazer a todas as gajas que apanhavam pela frente sem grande sucesso (i wonder why...), havia gente metida dentro de água, e depois começa a festa: um par de colunas brutais e música ali a bombar em altos berros...comecei logo a ver a vida a andar para trás...mais uma noite que não ia conseguir dormir decentemente..
Resolvemos regressar à tenda porque já começava a ficar frescote, e pelo caminho tive a sensação de estar em pleno festival do sudoeste: noite, frio, muito "calor humano", pouca luz, música alta a ecoar pela "planície", o pessoal a dar "fogo à pedra", outros a dançarem de copo na mão, outros a cambalearem de um lado para o outro sem saber bem para onde ir....foi aí que me apercebi o porquê de estar tanta malta nova acampada no parque...pudera, aquilo é uma festa!!

Por incrível que pareça, apesar do barulho das ondas e da brisa a bater na copa dos pinheiros ter sido substituído por música de discoteca e gritaria, consegui adormecer sem acordar durante a noite..aliás, foi das três noites a que dormi melhor...nem sei se houve muito xinfrim durante a madrugada, mas deve ter havido, porque aquilo eram só garrafas e copos de plástico espalhados por todo o lado.. para além de barulhenta, a malta também é javarda e pelos vistos, ainda não aprendeu que não se jogam garrafas no mato...

..e como já vem sendo habitual desde que começamos a ir pá galé este ano, o domingo amanheceu foleiro!
Tomamos o pequeno almoço e entretanto as nuvens afastaram-se e deram lugar a um fim de manhã muito agradável e quente. Estive um bom bocado sentada na falésia a admirar a praia e o oceano. Parecia uma daquelas praias tropicais, a água estava com um cor linda, arrependi-me de não ter levado a maquina fotográfica, porque tinha tirado ali umas fotos espectaculares...
Como estava apetecível, pensei que não fazia mal nenhum fazermos uma prainha antes de nos irmos embora.

Não tínhamos muita pressa, andamos por ali a anhar e a arrumar as coisas aos poucos e lá descemos até à praia... e o sacana do dia pôs-se feio outra vez, ou seja, mal pus os pés na areia, as nuvens taparam o sol..até parece que é de propósito..grrrrrrrr!!

Não ficamos lá muito tempo porque comecei a ficar com frio, o marido ainda esteve um bocado na água, mas depois subimos para ir acertar as contas e bazar (sem antes comer um burger, claro!), quando estávamos a terminar, as nuvens desapareceram e o dia ficou bonito outra vez...é que é mesmo irritante pah!

Eram umas seis e meia quando chegamos a casa, tava tudo bem co furas, que tinha ficado com a casa por conta dele*, descarregamos, arrumamos, e fomos até ao forum ver as modas e um filmito :)

Veredicto:
Se forem campistas do mesmo género que nós, que gostamos de calmaria, de relax, de silêncio, então, agosto é mesmo um mês a evitar, ou pelo menos os fins-de-semana. Não havia recanto que não tivesse ocupado, e o barulho era uma constante..na noite de sexta e sábado, a zona do restaurante e snack-bar encheu completamente, era tanta, tanta gente, que uma pessoa custava a andar por lá, e as filas eram monstruosas..
Acho que os chuveiros perto do snack-bar são menos concorridos que os da zona das tendas, porque nunca esperei muito tempo, e apanhei sempre agua quente em todas as cabines. Não são tão bons como os outros, mas servem perfeitamente.
A padaria, a peixaria, o take-away, o bar da praia, a gelataria, e a barraca das farturas foram novidades para nós, que nos surpreenderam pela positiva.
Havia sempre montes de pó no ar e andava muita gente a queixar-se de alergias.
A parte menos boa é a enchente, mas como nós estávamos um bocado isolados, nem sempre dávamos pela confusão..

* o furas, tadito, teve que ficar sozinho em casa, mas como tem a sorte de ter uns donos que se preocupam muito com ele, ficou com a casa por conta dele..bem, menos a sala..barramos-lhe o acesso à sala (e ao sofá) e deixamos-lhe a cozinha, o quarto e a casa-de-banho para ele curtir à vontade, sem morrer assado pelo calor infernal que faz na cozinha nesta altura do ano..

...mas engraçado, que no parque, vi uma mulher que vinha da praia com um sacana dum coelho de estimação enrolado numa toalha...um coelho peludo...como é que o animal suporta aquelas temperaturas?? Também keru! : /

Calor, calor, calor...

Ontem à noite passamos um bocado mal por causa do calor, como seria de esperar! Mas ainda não foi suficiente para mim mudar de opinião quanto às altas temperaturas he he

Saí do office por volta das sete, estavam alguns 36º na rua, e como o sr.karma sabe que eu gosto  muito de calor, mandou-me um autocarro com o ar condicionado avariado...estava mais calor lá dentro que lá fora e cheguei a ter dificuldades em respirar..yééééé, gostas de calor, gostas? Tão aguenta-te à bronca!

Cheguei a casa e fui encontrar o furas escarrapachado atrás da gaiola, no extremo da cozinha (e provavelmente o local mais fresco)... pobre animal, apesar de ter deixado as janelas todas abertas, e um lençol escuro a cobri-las, o termómetro da cozinha marcava 32º, estava um autêntico forno, o chão estava quentíssimo e a brisa que entrava de fresca não tinha nada... não sei como é que ele se aguentou, aquilo lá deve ter chegado aos 34º durante o dia quando ele supostamente não deve estar exposto a temperaturas acima dos 28º...peguei nele, estava todo mole, quase sem reacção, levei-o para a casa de banho e estive a fazer-lhe festas com as mãos molhadas a ver se ele ficava mais fresquinho, depois larguei-o em cima da cama, mas o ar quente que estava a entrar pelos buraquitos do estore fez com que ele preferisse arrastar-se pelo soalho, tadito...

O problema do dia de ontem para além do calor é que fazia vento, vento quente, e por mais que eu tivesse as janelas todas abertas a fazer corrente de ar, aquilo era o mesmo que nada, estar ali em cima ou na rua era o mesmo..caí por cima do sofá e acabei por me deixar dormir (tinha 3 horas de sono em cima por causa da noite anterior), nem forças tinha para ir pró ginásio (e lá há ar condicionado)..acordei às nove quando o gaijo chegou a casa, também completamente de rastos por causa do calor..

Lá prás dez da noite notamos que não era má ideia fazer alguma coisa para comer, só que antes de começarmos, verificamos que as nossas provisões de água fresca estavam esgotadas e gelo só havia nas paredes da arca... antes de sair, o marido ensopou a t-shirt para ir mais fresquinho, e lá fomos os dois, rua-à-baixo, a levar com aquele vento infernal pelas trombas.. tive dias de praia mais frios que aquela noite...quando cheguei a casa, o forecastfox marcava 32º..não tenho memória de uma noite assim tão quente..
Só lá prá meia-noite é que a temperatura baixou dos 30º e a casa começou a arrefecer lentamente, mas só consegui dormir depois duma chuveirada e com roupa molhada em cima :P

Hoje, antes de sair de casa, cobri a gaiola com um toalhão molhado e aquilo criou lá uma atmosfera que o bixo pareceu gostar..não deve durar muito, mas sempre ajuda..e fez-me confusão o facto de hoje estarem menos 13º que ontem e estar calor na mesma...o tempo é uma coisa lixada...não ter pensado em ar condicionado quando fizemos as obras em casa foi outra coisa lixada...bah!
31 de Julho de 2007, às 20:10link do post comentar ver comentários (2)

'Le me

tem idade suficiente para ter juízo, embora nem sempre pareça. algarvia desertora, plantou-se algures na capital, e vive há uma eternidade com um gajo que conheceu pelo mIRC.

no início da vida adulta foi possuída pelo espírito da internet e entregou-lhe o corpo a alma de mão beijada. é geek até à raiz do último cabelo e orgulha-se disso.

offline gosta muito de passear por aí, tirar fotografias, ver séries e filmes, e (sempre que a preguiça não a impede) gosta praticar exercício físico.

mantém uma pequena bucket list de coisas que gostava de fazer nos entretantos.

de resto, é ler o blog :D

'Le liwl

era uma vez um blog cor-de-rosa que nasceu na manhã de 16 de janeiro, no longínquo ano de 2003, numa altura em que os blogs eram apenas registos pessoais, sem pretensões de coisa alguma. e assim se tem mantido.

muitas são as fases pelas quais tem passado, ao sabor dos humores da sua autora. para os mais curiosos, aqui ficam screenshots das versões anteriores:
#11 #10 #9 #8 #6 #5 #4

Bloglovin  follow us in feedly  Seguir nos Blogs do SAPO

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.