Se eu não fosse assim.. VI

chegou aquela do ano em que o cascas tem que ir fazer uns exames para lhe renovarem o papelinho verde no pára-brisas. como estava a modos que pró badalhoco, quis dar-lhe uma lavagem para ir mais apresentável (que o estado do carro diz muito dos donos muhahaha).

mé rique carrinhe, que só te dão banho duas vezes por ano - quando vai à revisão, e quando vai à inspecção...

tão siga para o posto de abastecimento com lavagem automática mais próximo. nesta altura do campeonato já nos deixamos de preocupar com os riscos que as escovas fazem na pintura... also, são 15€ que poupamos.

terminada a lavagem, paramos em frente à bomba de ar para o homem verificar a pressão dos pneus. eu aproveitei para recolher o lixo armazenado nos compartimentos das portas, e decidi que não me custava nada passar-lhe o aspirador quando chegasse a casa.

foi então que reparei que a manápula gordurosa tinha resistido à lavagem automática, oh que crl... há uns dias, alguém teve a cortesia de escarrapachar uma mão de tal modo gordurosa na traseira do carro, que quase dava para notar as impressões digitais do autor. nem quero imaginar ondé que aquela mão andou metida antes de assentar no meu rico carrinho :P

nada que uma espichadela de fairy num pano de micro-fibra não resolva, pensei.

estacionei o carro a ocupar dois lugares estrategicamente na garagem, de forma a conseguir ter as portas todas abertas e fui buscar as ferramentas de limpeza.

a manápula asqueirosa saiu tão bem com o fairy que decidi ir experimentar se funcionava igualmente bem na dianteira do carro, na vasta colecção de entranhas ressequidas de insectos, resistentes às escovas das lavagens.

ok, aqui precisou um bocadinho mais de força de braços, mas hey! tava a ficar um mimo! a parte mais fixe foi termos descoberto que 50% dos riscos da pintura eram superficiais, e saiam à força da esfrega ou das unhas (UAU, finalmente uma situação onde é útil ter unhas rijas como cornos!!). ia dando cabo da unha do polegar direito, mas consegui tirar aqueles riscos pretos foleirosos do pára-choques. fiquei TÃO contente :D

quando dei por mim, tinha passado o pano húmido na pintura toda. quem diria que limpar o carro consegue ser uma actividade tão apaziguadora. agora compreendo porque é que tantos homens passam tardes inteiras de domingo a limpar o carro.

depois, enquanto o homem se dedicava às jantes, aspirei o interior minuciosamente (temos umas ponteiras todas paneleiras para o aspirador, que chegam a todos os cantos e fendas), e por fim passei o pano nos plásticos interiores, para limpar as patadas. ficou im-pe-ca-vel!

ele merece, carrinho lindo, que se porta tão bem e faz a dona tão feliz!

orgulhosa do resultado final, vou ver qual é a opinião da internet sobre lavar o carro com detergente da loiça.. na volta todàgente usa menos eu!

...a minha cara quando começo a ler por todos os lados que não se deve utilizar tal coisa, pois danifica a pintura.... EEEKKKKKK!!! quer dizer.. dou um peido sem consultar primeiro o google, e sai logo asneira 😑

bom, vá lá que usei muito pouco (aquilo ser ultra concentradissimo é só um detalhe lol).. 

ontem quando saiu à rua, pude inspeccioná-lo debaixo do sol resplandecente em vez da iluminação ténue da garagem, e posso atestar que sem ser quando o fui levantar ao standér, nunca o vi tão bem limpo e tão brilhante. a pintura está intacta, tanquegóde. prometo que da próxima vez que limpar o carro vou manter o detergente da loiça bem longe dele -_-'

11 de Julho de 2018, às 00:25link do post comentar(3)