Gateco

a madrugada de sábado para domingo foi agitada.

seriam duas da manhã quando o homem lhe pareceu ouvir uns miados. a mim parecia-me mais sons de pássaros ou morcegos. mas fiquei com o ouvido à escuta.

por volta das três, depois de uns momentos de silêncio, voltou à carga. desta vez até eu fiquei sem dúvidas que eram miados, e bastante aflitos. como aquela berraria já estava a durar à demasiado tempo, saímos à rua a ver se dávamos o bixo em apuros.

assim que saímos, deve-se ter assustado com o barulho, e calou-se novamente.

o homem foi para um lado, eu fui para o outro. andamos por ali às voltas a ver se o víamos, até que às tantas os miados aflitivos voltaram a ecoar. fui em direcção ao som, e topei um gatito perto da estrada. fiz sinal ao homem, e fui andando muito devagarinho na direcção do bixito. ele, assustado, ia fugindo desengonçadamente à minha frente.

quando o homem se juntou a mim, lá conseguimos deitar as mãos ao caganito. era minúsculo, devia ter poucas semanas de vida, e tinha um olho completamente inflamado. já os pulmões estavam em plenas condições, pela berraria que continuava a fazer.. não parecia muito incomodado com nossa presença, não fugia nem se tentava esconder.

o bicho estava naquela aflição havia pelo menos duas horas. ficamos com ele por turnos, enquanto procurávamos gatos adultos nas redondezas. entretanto passei por casa para ir buscar comida, mas ele não estava interessado, só miava que dava dó. e nem sinal de gatos adultos.

por volta das cinco, desistimos de esperar pela progenitora. mas não podíamos deixá-lo ali sozinho.. voltei a casa para ir buscar a transportadora, e fomos com ele ao vet. consulta de urgência, mas que se lixe, não o podíamos levar para casa sem ser visto por um veterinário.

tava cheio de pulgas e a infecção no olho era feia, mas não tinha febre e a auscultação estava normal. por ser tão novo, desparatização externa só banho, engoliu à força um comprimido para desparatização interna, uma injecção de antibiótico (a repetir durante uma semana), pomada no olho inflamado, limpeza de orelhas, e foi pesado. meio kg de gato. a vet deu-lhe à volta de 4 semanas, e ainda não dava para perceber bem o género. as nossas fichas estavam em fosse fêmea.

o homem não estava muito convencido, mas eu já estava a esfregar as mãos "querem ver que a gatifonga vai ter um diabrete para se entreter?" oh yeah!

mas tínhamos ali um problema.. não podíamos levar o gatito já para casa, para não passar nada esquisito à nossa. precisava de ficar de quarentena em algum sítio.

o homem telefonou aos pais - às cinco e meia da manhã, pregou-lhes cagaço do tamanho do mundo 😅- a explicar a situação, e se não se importavam de acolher o bixo uns dias, até ele terminar o antibiótico, curar a inflamação do olho, e podermos testá-lo para saber se não havia problema em juntá-lo à nossa.

os sogros receberam o caganito de braços abertos. para nossa grande surpresa, não parecia assustado - antes pelo contrário, estava bastante curioso com aquele novo ambiente, e não tinha medo dos gigantes que não o deixavam em paz. demos-lhe o paté que trouxemos do vet, e ele não comeu, devorou!!

mais tarde fomos lá outra vez, para lhe dar banho, catar-lhe a pulgas, e meter a pomada no olho. portou-se super bem durante esta provação, teve uma paciência brutal, sem nunca reclamar. da ultima vez que dei banho e catei um gato, temi pela vida.. já este quase que adormeceu a ser catado, tão foooofo!!

o mais curioso era que ainda nem 24 horas tinham passado, e já o bixo estava totalmente ambientado, a derreter os corações dos humanos todos à sua volta. brincalhão, asseado (aprendeu a ir às pedras à segunda mija), uma lata de 200gr de paté quase toda no bucho. e muitos ronrons!

os sogros afeiçoaram-se a ele imediatamente, "daqui já não sai" lol, lá se vai a companhia da gatifonga.

entretanto uma semana passou, a bixa foi oficialmente declarada fêmea, engordou 50% do peso inicial (pudera, come que nem uma desalmada), é super, super brincalhona e mimalha. e está a ser seriamente mimada pelos meus sogros. o olhito provavelmente não tem recuperação, mas a inflamação ficou curada.

chama-se farrusca, 

farrusca  
...e é um amor de gateco 😍

9 de Setembro de 2018, às 22:58link do post comentar