Dia da Mulher

[vou desviar-me um bocadinho do registo habitual aqui do tasco para escrever sobre o assunto do dia. nunca o fiz em 15 anos, e muito possivelmente tão cedo voltarei a fazê-lo.. mas hoje estou só muito aborrecida, porque estou de molho em casa, cortesia de um bicho qualquer que apanhei por aí]

não gosto do que se assinala neste dia... melhor, tenho vergonha que tenhamos que assinalar este dia, que nos relembra dolorosamente, que as mulheres têm que lutar por algo que devia ser garantido à nascença: igualdade de direitos entre géneros. abomino a ideia da sociedade achar que, lá porque a natureza determinou que alguém viria ao mundo com um determinado conjunto de órgãos reprodutores, havia de sofrer descriminação por isso. é uma aberração, pura e simplesmente.

não compreendo porque é que nos dias de hoje, ainda temos que lutar por algo que é um direito humano. somos fisicamente diferentes, não contesto, mas isso *nunca* deveria ser factor para nos limitar fosse o que fosse. infelizmente pertencer ao sexo fisicamente mais fraco, não nos deu grandes opções na história da humanidade.

muitas mulheres lutaram, muitas perderam a liberdade e até a vida, para conquistar a igualdade mais do que merecida de direitos. todas elas merecem o nosso profundo respeito e a nossa homenagem. é graças a elas que hoje podemos estudar, escolher a profissão que quisermos, votar, conduzir, sair de casa ou viajar sozinhas, e temos liberdade para fazermos o que raio quisermos com a nossa vida, e com o nosso corpo.

mas se sairmos da nossa bolha, vemos que é uma realidade que ainda não chega a todas as partes no mundo. ainda existem *muitos* sítios onde os atentados aos direitos e liberdade das mulheres são uma verdadeira atrocidade.. e é por isso que não posso ignorar, que, se não existissem homens com abertura suficiente para perceber que limitar a liberdade do sexo oposto é algo fundamentalmente errado e deve ser corrigido - hoje ainda estaríamos na idade das trevas dos direitos de igualdade.

e por isso mesmo, na minha humilde opinião, eles também merecem uma homenagem: homens que têm verdadeiramente empenhado e lutado para que as mulheres consigam ter igualdade no emprego, na progressão na carreira, e na remuneração; homens que recusam ver as mulheres como seres inferiores, e tratam-nas de igual para igual; homens que respeitam as diferenças físicas e psicológicas entre os géneros, e não abusam da força física para oprimirem as mulheres; homens que nos respeitam, reconhecem o nosso valor, e celebram as nossas conquistas; homens que em casa assumem a divisão de tarefas domesticas, e de responsabilidade na educação dos filhos; homens que ficam em casa a cuidar das suas mulheres ou dos filhos quando estão doentes; homens que não precisam de um dia específico no ano para celebrar o dia da mulher, e celebram-no 365 (ou 6) dias por ano... neste dia gosto especialmente de me lembrar de vocês.

conheço uns quantos, embora não tantos como gostaria... infelizmente ainda existe um longo caminho a percorrer, e este dia terá que continuar a ser assinalado por muitos mais anos.

8 de Março de 2018, às 23:30link do post(1)