Cró

no ano passado, quando andamos a explorar a beira baixa, íamos a passar pelo meio de nenhures, quando topamos um edifício com uma arquitectura demasiado moderna plantado naquele cenário bucólico, e ficamos com a pulga atrás da orelha.. 

cró

não tardamos muito a descobrir que era um hotel.. com termas.. opá, temos que voltar cá e experimentar isto!!

até nem demorou muito tempo. aconteceu quase por acaso, no segundo fim de semana de abril. como ficamos fãs do longroiva hotel, que pertence ao mesmo grupo, tratamos de arranjar oportunidade para conhecer o outro (este!) também.

sinal que estamos a ficar velhos: a perspectiva de passar um fim de semana numa espécie de estância termal é muito apelativa lol marcamos estadia, e marcamos logo os tratamentos, para não chegarmos lá e já não haver vagas, como de costume.

no sábado fizemos um esforço sobre-humano para sair de casa cedo, de modo a aproveitarmos bem o fim-de-semana. ao meio dia estávamos a sair de lisboa. mesmo assim conseguimos sair uma hora depois daquilo que era suposto :P e com o tempo miserável que estava, fazia apetecer ainda mais passar o fim-de-semana enfiados num hotel com spa. mesmo que demorasse três horas e meia a chegar até lá.

o check-in começava às 4 da tarde, mas não foi preciso esperar, deram-nos logo acesso à nossa suite no terceiro andar. mal entrei na suite fui directa ao wc, inspeccionar se a banheira era aquilo que me tinha sido prometido..

E ERA!!! hi hi hi hi mais uma banheira de hotel à maneira prá colecção \m/

quartosuite suite

a suite era adorável, minimalista mas bastante acolhedora, toda forrada em madeira, com uma pequena sala de estar e um terraço. mas a jóia da coroa foi mesmo o wc, em cimento envernizado, com a banheira integrada ao nível do chão, separada do quarto por um vidro. o lavatório também estava integrado na parede, e a sanita estava num compartimento à parte. fiquei apaixonadíssima pelo wc :D

fomos fazer uma buchinha, e depois siga prá piscina. as comparações com a da longroiva foram inevitáveis: a outra tinha a água mais quente, e por ser a céu aberto, era muito menos ruidosa. a cúpula daquela é brutal, mas faz muito eco. mas era muito maior, e tinha mais pontos de massagem. bem fixe para quem tem os músculos dos ombros e das costas todos faralhados.

às cinco e meia chegou a hora dos tratamentos. o homem ganhou o pedra/papel/tesoura e foi o primeiro a experimentar o duche vichy. eu fiquei 15 minutos a demolhar numa banheira de hidromassagem. quando voltei a vê-lo, vinha a queixar-se..

ele: "porque é que não experimentamos isto do duche vichy mais cedo?"
eu: "porque somos parvos?"
ele: "da próxima marco duas sessões de seguida!"

de facto, aquilo é genial. uma massagem enquanto estamos debaixo de um spray continuo de água quentinha. opá!! 12 minutos não é definitivamente tempo suficiente..

dali fomos descansar um bocadinho para o quarto antes do jantar, mas o homem tava de apetites a banana, e queria ir à procura dum supermercado. vai daí, fomos até ao sabugal a 14km dali, à caça de bananas. quando regressamos, o jantar já decorria. a má noticia é que havia música ao vivo, e a produzir demasiado barulho para uma refeição que se quer feita com sossego. mas tava incluído no pacote, lá teve que ser.

apesar do barulho (sim, aquilo não era música, era ruído), a refeição foi fixe. como era buffet, acabei por comer mais do que queria.. já não estou habituada a comer muito à noite, não gosto de me sentir empanturrada. vá lá que tive a feliz ideia de trazer água com gás do supermercado \m/

no dia seguinte tivemos que acordar demasiado cedo para tomar o pequeno-almoço, porque tínhamos cenas marcadas no SPA às 10:30. e eu não queria ir de barriga muito cheia. não gostei particularmente desta ideia, ia-me roubar hora e meia ao quarto. mas passamos na recepção e eles foram porreiros e deixaram-nos fazer late check out. yay!! off to the termas!

a bela da massagem. eu a tentar relaxar na marquesa durante uma hora, enquanto uma terapeuta me untaria toda com um óleo qualquer, e realizaria milagres pelos meus tendões ensarilhados. claro que o meu cérebro não aprovou a ideia, e deu-me uma panóplia de pensamentos encadeados muito engrassada. lembro-me de achar que tinha ali material para um post ou dois. pena que não retive nada. só me lembro que às tantas consegui distrair o cabrão, porque topei um padrão na músiquinha zen, e ele ficou encravado ali, a tentar perceber onde começava e terminava o loop da música. uma hora a ouvir exactamente o mesmo. lamento a sorte das terapeutas e têm que gramar aquilo o dia inteiro..

agora por isso.. acho que quando andar sem inspiração aqui pró tasco, vou fazer uma massagem, aquilo ajuda-me a desbloquear as ideias muhahahah

depois 15 minutos de banho turco! TÃO BOM! fdx, adoro banho turco!! e aquele, não estava muito quente e tinha aroma a eucalipto. bliss!!!!

...e porque o relógio não pára, rapidamente chegou a hora de termos que nos despedir do nosso rico quartinho. mas tínhamos muito terreno para desbravar, a começar logo ali ao lado, pelo antigo complexo termal, agora em ruínas.

termas antigas termas antigas
termas antigas ribeiro do cró

13 de Maio de 2018, às 16:10link do post comentar(2)