Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

lost in wonderland

lost in wonderland

OMG, OMG, OMG

Maio 14, 2019

a netflix (vou linkar como forma de agradecimento lol) não só salvou o lucifer, como transformou a série POR COMPLETO. está irreconhecível, apesar de NADA ter mudado 😲

no ano passado, quando a fox lhe deu a machadada e os fãs fizeram um estardalhaço do caraças para a netflix salvar a série, e a netflix aceitou, fiquei com esperanças que pegassem naquilo e fizessem justiça ao potencial que a série tem...

...e holy shit on a stick, se fizeram!!

eu não queria fazer binge watch, juro que não queria.. queria saborear cada episódio nas calmas, sem pressas.. mas era IMPOSSÍVEL!!

amadureceu, e cresceu-lhe um par de tomates. está mais sombria, atrevida, dramática - acho que não houve um episódio em que não ficasse com os olhos cheios de água. os casos de polícia são mais credíveis, as piadolas tão brutais, as referências são mais que muitas, e tem easter eggs aqui e acolá.

a fox tava a matar a série às golfadas. a terceira temporada foi sofrível, as personagens secundárias estavam completamente desaproveitadas e à deriva. nesta, tiveram todas mais desenvolvimento nos três primeiros episódios, que nas três temporadas anteriores. juntas. a linda FINALMENTE brilhou como psiquiatra do demónio. todàgente teve direito a arcos, com um tempo de antena decente. até as actuações estavam melhores. deve ser a diferença entre ter um guião decente, e provavelmente coaching durante as filmagens.

são só 10 episódios mas estão TÃO BONS. a fandom anda numa histeria pegada, a implorar à netflix para que a série tenha continuação. eles deram-nos exactamente aquilo que nós mais desejávamos. agora não podem simplesmente parar!!



THANKS A MILLION NETFLIX 🙏🙏🙏

A biópsia

Maio 10, 2019

o cúmulo de uma ideia de merda: meter-nos a ler sobre macro biópsias assistidas por vácuo orientadas por estereotaxia, quando temos uma agendada para fazer...

OMFG, vou passar meia hora, MEIA HORA!!! prensada na cabrona da máquina, enquanto uma agulha grossíssima me escarafuncha o interior da mama, comigo acordada. PUTA QUE PARIU!!!

eu e a minha curiosidade mania de querer estar sempre preparada para o que me espera.. e por azar, são as pessoas que têm más experiências, que normalmente as relatam. e li muita coisa que não achei piadinha nenhuma. e se uma pessoa já anda uma pilha de nervos, fica em total estado de calamidade...

não vale a pena esconder.. estava completamente aterrorizada quando entrei no gabinete da mamografia, onde ia fazer a biópsia, logo às 7h45 da manhã, para começar bem o dia. tremia violentamente e de forma incontrolável, apesar de estar a fazer os impossíveis para descontrair. não havia como fugir, aquilo tinha que ser feito, mais valia aceitar de uma vez por todas e deixar de me preocupar. até estava a fazer piadas com a situação, mas definitivamente não era eu que estava no controlo do meu próprio corpo.

o procedimento até é relativamente simples. a pele é desinfectada, aplicam anestesia local, ajudam-nos a deitar de lado numa marquesa, estrategicamente posicionadas junto ao mamógrafo, onde vamos ficar caçadas durante o posicionamento da sonda e a recolha de amostras. e fiz a única coisa que podia fazer, preparei-me para o pior lol cerrei os olhos, e assim fiquei durante o procedimento todo.

assim que aquilo começou a apertar, eu já não sentia nada. nem notei a incisão para o agulhão entrar, ou o agulhão a entrar sequer. a médica avisou-me que ia ouvir uns disparos, para não me assustar. 

continuava a tremer como se estivessem -20ºC na sala, volta e meia a médica pedia-me para tentar ficar o mais imóvel possível, para a sonda não falhar o local. tinha que fazer um esforço sobre-humano para impedir o corpo de sacudir. a técnica que levou o cagaço do meu desmaio na semana anterior, estava de olho em mim que nem um falcão, sempre a certificar-se que eu estava acordada.

não achei a posição tão desconfortável como estava à espera, e não me incomodou por aí além do tempo que passei entalada na máquina. estava sempre à espera de sentir dor ou quem sabe, umas picadinhas, mas... nada! e se eu sou caguinchas com estas coisas. a única coisa que senti foi uma leve pressão no interior da mama, quando a sonda andava lá a fazer o trabalho dela. tanto medo, tanto terror, e vai-se a ver, aquilo não custou absolutamente nada.. não vou dizer que é uma coisa agradável de se fazer, mas para mim, arrancar um dente é bem pior. até me senti envergonhada das figuras que fiz.. enfim..

fui-me vestir e quando voltei ao gabinete, reparei na sonda ensanguentada, e nas técnicas muito atarefadas a preparar as amostras (pareciam pedaços de bacon muhahaah).. fiquei surpreendida por não me ter sentido mal lol

aqui tive a primeira realização da tecnologia brutal que os médicos têm ao dispor para o diagnóstico e tratamento desta maleita. fiquei impressionada com o equipamento da biopsia. é assim pró genial. o médico tira duas mamografias de referência, e a partir delas, diz à sonda onde ir picar. e a sonda faz o trabalho todo. no fim, enfiam por lá o clip para marcar o local biopsiado. e tá feito!

aproveitei para levantar o exame da semana anterior. o relatório concluía com BI-RADS 4b... 15 a 50% de probabilidade de malignidade. não são más notícias.. mas também não são boas..

Lugares mágicos

Maio 09, 2019

andava de olho posto na's casas caiadas há uns tempos valentes, mas tava difícil de conciliar as datas. porque a minha altura favorita para ir laurear pelo interior alentejano é ali aquela nesga da primavera, quando a paisagem verde está sarapintada pelas cores das flores silvestres, e as temperaturas estão amenas, e eu só me lembro destas coisas em cima da hora... mas deste ano não ia passar!

aproveitamos um dos feriados, planeamos uma ponte, e reservamos a estadia (com dois meses de antecedência!!).

sem grandes pressas, fomos pelo caminho mais demorado - e mais cénico, para aproveitar bem o passeio. levamos hora e meia a chegar lá, a distância de lisboa é perfeita, nem muito perto, nem muito longe. num daqueles momentos que só podem ser obra da conspiração cósmica, enganei-me a fazer o desvio final, e dei de caras com este cenário fabuloso,

ribeira floridaribeira floridaflores

de volta ao caminho certo, que serpenteava por entre um montado e que atravessava a ribeira da foto de cima, o nosso destino revelou-se. fomos muito bem recebidos pelo proprietário, que nos apresentou à nossa casa durante os próximos dois dias, à casa social, onde se fazem as refeições, e já agora, pedimos se era possível ver a casa grande, assim ficávamos a conhecer tudo. as casas são casamento perfeito entre o contemporâneo confortável e seguro, e o rural genuíno e simples de outros tempos.

casa de pedra wc suite

ia com expectativas altas, mas uma coisa é ver fotografias, outra é estar in loco. se o charme rústico e delicado das casas era tudo aquilo que estava à espera de encontrar, num todo, era impossível de imaginar o quanto sublime aquele pedaço de paraíso é. a primavera definitivamente enriquece o cenário, não só com os verdes da vegetação, que contrastam tão bem com o branco imaculado das casas, mas o bulício da passarada e dos insectos, e das rãs na ribeira ali ao lado, tornava o ambiente simplesmente mágico. não se ouvia nenhum outro som. só queria que o tempo parasse naquele momento. durante uns quantos dias.

a primeira coisa que fiz foi atirar-me à piscina. tinha-lhe uma paixão imensa desde a primeira vez que a vi. as margens e o fundo branco em declive, dão à agua um gradiente de azul fantástico, a rivalizar com o do céu.

piscinapiscina

no primeiro dia tivemos aquele lugar idílico todo por nossa conta, e aproveitamos ao máximo aquela tranquilidade indescritível. no segundo, já com companhia, não foi muito diferente. arrastávamo-nos por entre as espreguiçadeiras, ora à sombra de uma oliveira, ora perto da piscina, e sempre com aquela banda sonora incrível em pano de fundo. definitivamente mágico.

chillin chillin

não estávamos muito longe da civilização, mas ali, resguardados pelos sobreiros e pelas oliveiras, conseguia sentir-me completamente isolada do resto do mundo. mesmo o que andava a precisar, mas dois dias disto não chegam.

casas sunset sunset

sem a lua a iluminar a noite, a escuridão revelava um céu incrivelmente estrelado. não tivesse frio, era capaz de ter ficado horas a admira-lo, deitada numa espreguiçadeira.

e nem por isso a bicharada sossegava. adormecer com o cantar dos rouxinóis, misturado com cricrilar incessante dos grilos, foi uma experiência completamente nova. queria ficar acordada a deliciar-me com a melodia, mas aquilo embalava-me de tal forma, que adormecia em menos de nada.

estamos rodeados pela natureza, e nota-se o esforço para que tudo ali permaneça no estado mais puro possível. há pássaros, há abelhas e outros insectos voadores e rastejantes, há aranhas, há largartitos e cobras, há sapos e rãs, há coelhos e provavelmente muitos outros animais selvagens mais tímidos. mas não pareciam muito incomodados em partilhar o espaço connosco.

flores floreslargartito

vou andar a sonhar o resto do ano com um regresso na próxima primavera 😍

álbum completo no sitio do costume

Loop do dia XV

Maio 08, 2019

o homem meteu-se a ver o anime do ingress que caiu no netflix há uns dias. eu não vi, mas ouvi, e como já tem acontecido noutras séries, às vezes ouço coisas que me atiçam o ouvido. nesta, era a intro e o ending, que por acaso são músicas de uma banda ocidental, os alt-J.

ouvi aquilo tanta vez, que a música não me saia da cabeça, às tantas tive que ir ouvi-los pró spotify. acabei por fazer uma playlist, e zomg, não consigo parar de ouvi-los. ando nisto há dias, em repeat, na casa, no trabalho, no carro. e quando não tou a ouvir, tá-me a ecoar na cabeça...

'Le me

tem idade suficiente para ter juízo, embora nem sempre pareça. algarvia desertora, plantou-se algures na capital, e vive há uma eternidade com um gajo que conheceu pelo mIRC.

no início da vida adulta foi possuída pelo espírito da internet e entregou-lhe o corpo a alma de mão beijada. é geek até à raiz do último cabelo e orgulha-se disso.

offline gosta muito de passear por aí, tirar fotografias, ver séries e filmes, e (sempre que a preguiça não a impede) gosta praticar exercício físico.

mantém uma pequena bucket list de coisas que gostava de fazer nos entretantos.

'Le liwl

era uma vez um blog cor-de-rosa que nasceu na manhã de 16 de janeiro, no longínquo ano de 2003, numa altura em que os blogs eram apenas registos pessoais, sem pretensões de coisa alguma. e assim se tem mantido.

muitas são as fases pelas quais tem passado, ao sabor dos humores da sua autora. para os mais curiosos, aqui ficam screenshots das versões anteriores:
#12   #11   #10   #9   #8   #6   #5   #4

seguir nos blogs do SAPO

drop me a line: isa [ arroba ] sapo [ ponto ] pt

Error running style: Style code didn't finish running in a timely fashion. Possible causes: