Vade retro!

que. janeiro. tão. cretino. a sério.. dos meses mais estapafúrdios que tenho memória de ter vivido. o universo deve andar mal das tripas, não há outra explicação possível para este desarranjo monumental 😠😤

a primeira semana até foi uma semana normal de janeiro: fria, longa, e desinteressante. a partir daí, foi sempre a descambar. logo no inicio da segunda semana, apanhei um camadão de stress tão grande às contas do trabalho, que só visto... a terceira marcou o culminar de meses de trabalho, e o resultado foi melhor do que o esperado. o stress atenuou, mas quem sofre desta moléstia bem sabe que uma crise quando começa, é como um camião desgovernado, demora a tempo a controlar..

depois veio o dia mais anedótico deles todos,

quinta, 18. começou a manifestar-se por volta da hora de almoço, quando o revolut do homem desatou a disparar notificações, todo histérico. aparentemente, algum dos sites onde fizemos compras deve ter sido hackado, e o número cartão deve ter ido parar ao quarto escuro da internet. até foi giro ver os pagamentos todos a cair, e o cartão a recusar (congelou-se ao segundo ou terceiro pagamento sem provisão). às tantas começamos a fartar-nos de tantas pizzas encomendadas em dominó's por esse mundo fora (que falta de imaginação que a malta tem, nada de sexshops ou cenas igualmente interessantes), o homem deu o cartão como roubado, e acabou-se a festa. copo meio cheio: vá lá que foi o revolut, que só tem dinheiro quando é preciso, e não o visa.

mais tarde, chego a casa e topei que o foco do closet que tinha sido substituído há coisa de dois meses, fundiu-se..

minutos depois, já atrasados para ir para o ginásio, vou a arrancar o carro, e o sacana faz-me um manguito. copo meio cheio: podia ter sido muita coisa, mas felizmente foi apenas a bateria que pifou. fomos de gira pró ginásio. funny thing, é mais rapido chegar lá de bicicleta, que de carro :/

chegamos a casa, e o pin da porta de entrada tinha sido alterado. já sabíamos desta alteração, e estivemos o dia todo à espera do email com o código novo, que nunca chegou. mandaram apenas para mim, para uma conta de email que raramente uso... o homem até perguntou se estávamos em fevereiro. realmente...

mas o pior ainda estava para vir. ainda mal estávamos recuperados da "avaria" do carro, foi a vez da gata "avariar". durante o fim de semana notei umas cenas estranhas, e disse ao homem que tínhamos que levá-la ao vet, que não estava a gostar daquilo.

foi logo no dia seguinte. copo meio cheio: na segunda o homem ficou em casa porque também estava "avariado" (apanhou um bicho qualquer que lhe deu cabo da garganta, passou metade do mês a tossir), e a meio da tarde diz-me que a gata o estava a preocupar.. venho a voar para casa, e vamos os dois a voar com ela pro vet. fez análises e uma eco, que revelou uma piometra.. já não veio para casa, ficou internada a soro e antibióticos para poder ser operada no dia seguinte.. foram 24 horas muito cruéis, como se eu não andasse já stressada o suficiente. felizmente a operação correu bem, e fomos buscá-la no dia seguinte. entretanto ainda nos pregou uns sustos, e voltou ao vet mais duas vezes. e o stress a comer-me viva...


a última semana começa com uma encomenda da lorna jane que chegou super rápido, fixe!!! um soutien de desporto que estava desde novembro à espera que a loja voltasse a ter em stock, e umas calças. vou a abrir o pacote, só vejo as calças, e um cartãozinho a dizer que a outra peça - aquela que interessava!! - havia de chegar.. a minha desilusão. vou a experimentar as calças.. o S fica-me a nadar, FFFUUUUUU.. entretanto as calças esgotam na loja.. opá!!

mas hey, à parte do stress diabólico, e das despesas ridículas de saúde (nossas, do carro e da gata), copo meio cheio: a esta hora podia estar internada num hospital por causa do surto de legionella na cuf, que há duas semanas fui a uma consulta lá, e usei o lavatório para lavar as mãos lol

por isso fevereiro, este ano recebo-te de braços abertos. depois dum janeiro destes, tou mais do que pronta para ti.. PQP!!

31 de Janeiro de 2018, às 23:59link do post comentar ver comentários (4)(1)

Seis coisas que os introvertidos odeiam

sou introvertida e não tenho problemas nenhuns com isso. às muitas vezes passo por bicho do mato, mas também não tenho problemas nenhuns com isso. no entanto existem algumas situações difíceis de evitar, que por ser introvertida, trazem-me muitos problemas :D

torpecei num vídeo sobre este tema (obrigada sara que estás a irlanda), e achei piada porque me identifiquei com os pontos todos. e como não tenho nada mais importante para fazer (ou se calhar até tenho mas não me apetece muhahah), cá vai a minha perspectiva pessoal de cada um deles:


1. multidões

muito complicado para o meu sistema. fico desorientada com a quantidade de movimentos erráticos das pessoas, é demasiada informação para o meu cérebro processar. e depois há o ruído. multidões produzem uma algazarra do caraças, que me desorienta ainda mais. deve ser por isso que não gosto de cidades grandes, ou espaços fechados muito concorridos (centros comerciais ao fim-de-semana, estou a olhar para vocês!!). além disso, meu espaço pessoal fica ameaçado no meio de multidões, e o meu espaço pessoal é um assunto muito sério!

mas excepções à regra existem. consigo tolerar multidões se tiver uma razão forte para tal, como é o caso de concertos. adoro ver as minhas bandas favoritas actuarem ao vivo, e se tiver que estar umas horas no meio de um mar de gente, estou. isto porque tenho um ponto de foco, um objectivo onde me concentrar e consigo gerir relativamente bem a situação (embora já tenha tido ataques de pânico), até porque num concerto a energia da multidão faz parte. claro que fico de rastos, mas foi por um bom motivo.

2. falar ao telefone

das piores coisas que me podem fazer é telefonar. a sério, não me telefonem se não for absolutamente necessário!! e isto vem desde que me conheço. quando tinha praí meia dúzia de anos e os meus pais mandaram instalar telefone em casa (daqueles analógicos, com rodinha), detestava ter que atendê-lo. aquela merda apitava e toda eu tremia, só com a ideia de ter que levantar o auscultador e falar com alguém. ainda hoje detesto atender telefonemas. muitas vezes, se não conhecer o número, passo o telefone ao homem para ser ele a tratar do assunto :D

felizmente hoje em dia, o pessoal prefere mandar mensagens. whatsapp rula!! mas reconheço que existem situações em que uma chamada resolve a questão muito melhor do que comunicação escrita, e nesses casos não levanto grandes dramas. respiro fundo, marco o número (ou atendo) e cá vai disto. não gosto, mas se tiver mesmo que ser, é.

3. barulho

obras, trânsito, sirenes, pessoas a falar aos berros, muita gente a falar ao mesmo tempo, crianças a gritar, cães a ladrar, and so on.. barulho faz-me disparar os níveis de stress que é uma coisa parva. pessoas que como eu, passam o tempo todo dentro da sua própria cabeça, precisam de manter um elo permanente com o cérebro, o barulho distrai-nos, a ligação perde-se, a corrente de pensamentos dissolve-se, e ficamos desorientados.

só não ando com tampões nos ouvidos quando ando na rua por questões de segurança pessoal, tipo não ouvir um perigo a aproximar-se. barulho é também uma das razões pela qual tenho tolerância zero para discussões.

4. eventos sociais

das situações onde me sinto mais desconfortável nesta vida, super ultra cansativo.. sejam eventos ou festas (inclusive familiares), seja sair à noite. eventos sociais é a tempestade perfeita. implica enfrentar multidões, levar com barulho, e ter que fazer conversas de circunstancia. não sou um animal social, se não tiver à vontade com as pessoas envolvidas nesses eventos, é uma autêntica tortura.

mas tal como no ponto nas multidões, existem excepções à regra. quando tenho um foco, consigo ultrapassar a coisa sem grandes traumas.

5. dizerem-nos que “és demasiado quieta”

depende da pessoa. se não me conhecer e dizer isto, aceito e não levo a mal. se for uma pessoa do meu circulo, a usar este argumento para tentar espicaçar-me, sou capaz de não achar lá muita piada. also, se acham que sou uma pessoa aborrecida porque prefiro estar calada e quieta no meu canto, estejam descansados que vivo muito bem com isso :D

6. conversa de circunstância

basicamente conversa forçada.. não é uma cena fixe. a não ser que esteja no meio de pessoas com quem esteja familiarizada e tenha assunto para falar, isto é uma situação que me causa bastante desconforto. é embaraçoso porque nunca sei o que é suposto dizer, ou porque arrisco a dizer coisas desadequadas. e sinceramente custa-me estar a gastar energia com conversa sem utilidade ou substância, só porque é uma convenção social. este é outro tema, não atino com certas convenções sociais, acho que só servem para fazer perder tempo.. mas suponho que a sociedade funciona melhor em cima disto, não há grande volta a dar :/

mas calma, não sou completamente anti-social. em certas situações, até gosto muito de falar, e sou capaz de passar horas na galhofa, capaz de fazer a malta pensar que “esta tipa tá-me a tangar, de introvertida não tem nada”, só que não.. por mais agradável que seja a conversa e os intervenientes, conversar drena-me a energia de uma maneira inacreditável, fico realmente cansada ao fim de algumas horas.

funny thing, sabiam que a principal diferença entre introvertidos e extrovertidos é a forma como recarregam baterias? introvertidos precisam de espaço e sossego, preferencialmente sozinhos, e os extrovertidos precisam de rodear-se e interagir com outras pessoas. 

    27 de Janeiro de 2018, às 01:40link do post comentar ver comentários (18)(5)

    Que p*ta de semana...

    é tudo o que tenho a dizer 😑

    26 de Janeiro de 2018, às 21:39link do post comentar ver comentários (4)(1)

    A segunda vez do Cascas

    quinta às oito da noite. távamos à pressa para ir para o ginásio, já atrasados, quando dou à chave, o sacana do carro não pega... oi??

    nada de anormal aceso no dashboard, rádio a funcionar, e ainda há três dias andou a passear-se e não deu sinais de que alguma coisa estaria mal.. tento mais uma vez, nada. tento outra, nada. daqui não saio, daqui ninguém me tira.. onde é que eu já vi esta história antes?

    podia ser a bateria outra vez (apesar do indicador estar verde).. ou podia estar sem gasóleo, e o computador de bordo estar a calcular mal o combustível que restava no depósito (seria inédito, mas pronto).. ou podia ser algo muito mais grave, que eu nem queria pensar.. mas o que mais me estava mesmo a chatear, era a perspectiva de ficar sem carro durante o fim-de-semana..

    vá lá que desta vez escolheu um sitio *bem* melhor para amuar, no conforto da sua casinha, e a 3km da oficina onde costuma a ir. e as coisas correram muito melhor. aliás, tão bem que até estávamos a estranhar,

    na manhã seguinte, depois da fisioterapia, o homem telefona para a assistência da nissan, explicou por alto o que estava a passar com o carro, e do outro lado perguntaram-lhe se queria tentar desempanagem no local, antes de mandar o reboque. siga!!

    tinha acabado de sair do banho, quando vejo uma mensagem do homem, a avisar-me para estar atenta que o técnico devia aparecer dali a 30-40 minutos. visto-me nas calmas.

    dez minutos depois, telefona-me a dizer que o técnico já estava a chegar. nem tive tempo de secar o cabelo, peguei no casaco, nas chaves, e no telemóvel, e voei para as traseiras do prédio, onde já la estava a pick-up de desempangem à minha espera. that was fast!!

    chegados à beira do paciente, o técnico dá uma espreitada, abre o capot, e pede-me para ligar o carro. o carro borra-se todo, "é bateria" diz ele. vai à pick-up, saca de um arrancador, liga-o à bateria moribunda, e pede-me para tentar outra vez. e o cascas subitamente volta à vida. yay!!

    "ainda nem tem 5 anos..." desabafo. "pois, estes carros costumam precisar de bateria nova a cada 4 anos" informa-me ele. FFFUUUUUUUU que mamão do crl, cabrão do carro!!

    "agora é melhor não deixá-lo ir a baixo" avisa-me. "não seja por isso, vou já com ele prá oficina", cabelo molhado e tudo. o rapaz tira umas notas, dá mais uma vista de olhos em redor do carro, e estamos despachados. aperta-me a mão, e segue atrás de mim para fora da garagem.

    telefono para o homem a dizer que me ia por a caminho da oficina, para se meter a jeito. e lá fui eu, com o maior dos cuidados para não deixar o carro ir abaixo. a meio do caminho apanhei o homem, e em poucos minutos estávamos a chegar ao entreposto.

    apesar de ser hora de almoço, o bixo foi recebido e preparado para ser visto. com sorte ainda ficava pronto até ao final do dia, e não tinha que estar com trabalhos de tentar arranjar um carro de cortesia, para me safar no fim de semana.

    a meio da tarde, telefonema da oficina a confirmar que era a bateria. informam os custos, e perguntam se podem avançar. pois claro que podem, se não, não tinha levado o carro praí, né?

    uma hora depois telefonam novamente, a dizer que o carro estava a precisar de velas novas, se podiam trocar, e em quanto ficava a brincadeira. oh migos, já que estão com a mão na massa, façam favor. 

    ainda fico à espera do telefonema onde perguntam se já agora, também podem trocar o motor, porque já está a ficar velhote e os actuais são mais eficientes. felizmente esse telefonema não chegou :D 

    o terceiro e último telefonema foi para indicar que o carro já estava pronto, e que podia ser levantado 24h por dia. YAY i can has my car now!!!

    fomos buscá-lo por volta das dez da noite. pagamos o serviço na portaria de segurança, e descemos até à oficina. e lá estava ele, todo lavadinho, e cheirosinho, a pegar impecavelmente à primeira... e com as estações de rádio desprogramadas, e o relógio certo.. humpf!

    e pronto, posso pagar mais por levá-lo à marca, mas a verdade é que tratam tão bem ele, e fazem um acompanhamento tão bom naquela oficina, que não consigo sequer considerar levá-lo a outro sitio.

    ZOMG!!!

    15 anos


    15 anos passaram desde aquela aborrecida semana de janeiro, em que achei que isto dos blogs era giro, e queria ter um também, ainda que não tivesse grande utilidade. nestes 15 anos muita coisa mudou na minha vida, e estou-me eternamente grata por ter criado aquela página de internet aparentemente inútil. se estou! de outra forma não teria este precioso registo de memórias, que o tempo haveria de apagar. entre outras constatações,

    ter um blog há tanto tempo é não reconhecer aquela pessoa que escrevia aquelas coisas ao inicio - e ainda dizem que as pessoas não mudam.. nã, q'jeite. adoro quando vou vasculhar os arquivos, e esbarro em montes de cenas que já não me identifico nem um bocadinho. às vezes fico chocada, tipo "wtf.. quem é esta pessoa?? eu escrevi mesmo isto??" 😳

    ter um blog há tanto tempo, das duas uma, ou é sinal de teimosia, ou de resiliência. em retrospectiva, já resistiu a pelo menos duas extinções anunciadas da blogosfera, e a várias modas. e ainda assim tem-se aguentado fiel àquilo que sempre foi, um reflexo de quem o escreve. nunca lhe quis dar uma direcção, nem torná-lo numa obrigação, porque sei que a partir desse momento, iria perder piada toda. o segredo da longevidade tem sido esse mesmo, não levá-lo muito a sério. escrevo as merdas que me apetece, quando me apetece, e como me apetece.

    se bem que nestes últimos anos, admito que me contenho mais do que gostaria. os tempos são outros, existe muito mais exposição, e cada vez menos tolerância. as pessoas são mais rápidas a fazer juízos de valor, do que a tentar perceber ou contextualizar aquilo que estão a ler. e longe de mim ofender alguém com aquilo que escrevo por diversão.

    mas quando me ponho a ler os primeiros anos,  bate-me umas brutas saudades daqueles tempos, quando escrevíamos o que nos apetecia (por mais estúpido que fosse), sem nos preocupar com o que pensavam de nós. a internet era um lugar muito diferente, muito mais descontraído.

    anyway, o saldo é muito positivo. em 15 anos escrevi 2254 posts. o número pode não impressionar muito, mas noves fora nada, são cerca de 150 por ano. não é nada mau! e como a maioria deles são lençóis gigantes, tenho uma "certa" curiosidade em saber quantas palavras já debitei por aqui, deve ser um número giro. e ainda era mais giro se contasse com as páginas intermináveis de rascunhos que fui coleccionando ao longo dos anos, que nunca irão ver a luz do dia.

    visitas já lhes perdi a conta há muito tempo. não ligo muito, diga-se de passagem, o que interessa são todos os que entraram na minha vida por esta porta.

    e por isso mesmo, malta que continua a passar por aqui ano após ano, activos ou lurkers, quem está de parabéns são vocês, por irem me irem aturando os humores, /me bows 😍🙌

    venham outros 15!!!

    Há semanas que passam a voar

    ...e há semanas que são tão longas, que mais parecem duas encavadas numa só!

    é um fenómeno que me acontece sempre em alturas de noitada, quando me deito às seis ou sete da manhã, e acordo ao meio dia - que foi a minha vida desde terça. é nestas alturas que detesto realmente esta minha condição de ser mais produtiva à noite :P

    se for verdade aquilo de janeiro ditar o que se vai passar no ano inteiro, tou tramada.. trabalho e stress a dar cum pau. não sei gosto disso..

    12 de Janeiro de 2018, às 23:00link do post comentar ver comentários (5)(1)

    Se provas faltassem.. IV

    eis o episódio que arrebanhou o troféu de mais caricato de 2017!

    aproveitamos a black friday parar comprar dois tapetes de yoga todos cromos. tapetes esses, que viemos a descobrir que tinham que ser "partidos" para melhorar a aderência. "partir" um tapete de yoga significa dar-lhe uma "esfoliação" com sal grosso, para retirar uma película que traz do processo de fabrico (dizem eles). não tou a inventar, vem mesmo nas instruções do tapete.

    então numa belíssima tarde de sol resplandecente, munidos de um pacote de 1kg de sal marinho, dois panos grossos de limpeza, e um recipiente com água, arregaçamos as mangas, inspiramos fundo, e metemos as mãos na massa. ou melhor, no sal!

    eles lá no site têm razão, aquilo parecia um ritual (fdx, as desculpas esfarrapadas que as marcas arranjam para contornar os problemas dos produtos lol),

    "wax on, right hand. wax off, left hand. wax on, wax off. breathe in through nose, out the mouth. wax on, wax off. don't forget to breathe, very important".

    tinha tudo para correr às mil maravilhas.. se não fosse o homem ter-se entusiasmado e usar metade do pacote de sal no tapete dele! para o serviço ficar bem feito à primeira.. isso! (a versão oficial é que era para ficar fixe no instagram)

    ...e ZOMG! não vos passa pela cabeça a porcaria inacreditável que o sal faz!!

    o sal mete-se em todo o lado. às tantas já estava tudo cheio de sal e salitre, chão, vidros, roupa, pele.. (vá lá que não nos deu para fazer isto em casa lol acho que hoje ainda andava a aspirar pedras de sal)

    estivemos umas duas horas naquilo, primeiro a esfregar os tapetes, depois a limpar o sal. mas hey! não deixou de ser uma tarde memorável, no terraço privado de um hotel que eu cá sei :D

    salt on, salt off

    e sim funcionou, os tapetes ficaram com melhor tracção \m/

    e a pele das mãos super macia!

    Para 2018 tenho apenas uma resolução

    (ainda vou a tempo, não vou? :D e aposto aqui e agora que não vou cumpri-la...)

    meter cortinas na casa! 

    é que isto uma pessoa vai ficando cada vez menos tolerante ao frio, e ter um janelão enorme é muito giro, mas no inverno ajuda a arrefecer a casa ainda mais, e ter a casa fria é um desconforto.. e depois a edp e a galp batem muitas palminhas à nossa conta.

    e já agora, também para termos um bocadinho mais de privacidade, que isto dos vizinhos da frente verem *tudo* o que o que se passa cá em casa não muito é fixe. parece uma tela de cinema ao ar livre.. ou o canal de cabo do big brother.


    ah e tal, mas isso não tem nada que saber. pegas em ti, vais ali ao ikea, compras umas calhas e umas cortinas já feitas, e tá a andar. só que nãaaaaao.. é preciso mandar fazer uma sanca, porque o homem assim o deseja (e eu concordo com ele, vá), porque fica mais elegante... ainda que meta obras e pinturas e o cacete. e as cortinas não têm medidas standard, porque têm que ocupar a parede toda, e o tecido tem que ser à prova de unhas de gato, porque eu tenho um gato arraçado de tarzan. talvez lá para 2028...

    6 de Janeiro de 2018, às 21:40link do post comentar ver comentários (1)(3)

    Arranjei um slanket!!

    i.e., um cobertor com mangas!

    andei òzanos para comprar uma cena destas (não é o original, é um knockoff provavelmente feito na mesma fábrica lá na china), acho genial, a sério. tive um encontro imediato com uma montanha deles no aldi, e decidi na hora oferecer-me como prenda de natal. porque eu mereço!

    anyway, vim a descobrir que este fantástico cobertor com mangas não cumpre apenas a função de me manter quentinha no sofá, como é tão confortável que acabo por usá-lo como robe, e até me ajuda a manter o chão da casa limpo. se pudesse, casava-me com ele :D

    ...pena não fazer também o jantar lol

    4 de Janeiro de 2018, às 21:00link do post comentar ver comentários (1)(2)

    E a primeira compra de 2018 foi...

    um pau de selfie!

    yep, começamos muito bem 😂
    1 de Janeiro de 2018, às 01:50link do post comentar

    'Le me

    tem idade suficiente para ter juízo, embora nem sempre pareça. algarvia desertora, plantou-se algures na capital, e vive há uma eternidade com um gajo que conheceu pelo mIRC.

    no início da vida adulta foi possuída pelo espírito da internet e entregou-lhe o corpo a alma de mão beijada. é geek até à raiz do último cabelo e orgulha-se disso.

    offline gosta muito de passear por aí, tirar fotografias, ver séries e filmes, e (sempre que a preguiça não a impede) gosta praticar exercício físico.

    mantém uma pequena bucket list de coisas que gostava de fazer nos entretantos.

    de resto, é ler o blog :D

    'Le liwl

    era uma vez um blog cor-de-rosa que nasceu na manhã de 16 de janeiro, no longínquo ano de 2003, numa altura em que os blogs eram apenas registos pessoais, sem pretensões de coisa alguma. e assim se tem mantido.

    muitas são as fases pelas quais tem passado, ao sabor dos humores da sua autora. para os mais curiosos, aqui ficam screenshots das versões anteriores:
    #11 #10 #9 #8 #6 #5 #4

    follow us in feedly  Seguir nos Blogs do SAPO

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.