Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

lost in wonderland

lost in wonderland

Lições dos trinta #301

Agosto 23, 2019

há coisas na vida para as quais ninguém nos prepara. tipo tentar dar uma queca quando temos um gatinho bebé

 

[ não posso deixar esta assim no ar, pois não? 😅 ]

 

é que o gatinho até pode estar a dormitar num canto da cama, ou entretido a brincar com qualquer coisa, mas assim que topa os seus humanos a fazer festas um no outro, bate-lhe uma ciumeira danada,

"uai.. sessão de mimos e ninguém me chama?? não pode!!"

vem logo a correr meter o bedelho. entretanto a coisa começa a escalar, e o gatinho decide que também quer fazer parte da acção, porque já se sabe que os gatos só sabem brincar aos amassos,

"ca fixe, os meus humanos engalfinhados um no outro. também quero!!"

morde os dedos dos pés, morde uma nalga, atira-se aos braços, às pernas, passeia-se por cima de nós, quer enfiar o focinho onde não deve, e lamber o que conseguir - que até podia ser agradável, mas com aquela língua de lixa, não. obrigada.

e tu pões o gatinho no chão, uma.. duas.. três vezes.. mas o gatinho está a adorar a ramboiada e simplesmente não desiste. até que às tantas atiras a toalha,

"fdx, não me consigo concentrar com o cabrão do gato aqui"

e fechas o gatinho fora do quarto.

só que o gatinho não compreende porque é que foi posto a mexer, quando a brincadeira estava a ser tão divertida. e desata numa miadeira como se tivesse sido largado no meio de uma floresta escura, cheia de monstros.. ok, a gatifonga quando está de trombas consegue ser um bocado assustadora, mas não é caso para tamanha berraria...

"fdx, não me consigo concentrar com o cabrão do gato a miar"

e abres-lhe a porta, não vão os vizinhos chamar a polícia por maus tratos a animais de estimação.

e o gatinho fica todo contente, porque os humanos afinal querem a sua companhia, e volta para o meio da acção. e tu simplesmente tens que aguentar as mordidelas e os arranhões, e tentar proteger as partes mais sensíveis daquelas garrazinhas e dentinhos fininhos, aguçados que nem agulhas.

não vale a pena esperar que o sacanita esteja a dormir, que os gatos não dormem realmente, só fecham os olhos. qualquer som, arrebitam logo as orelhas e vão ver o que se passa. a única coisa que nos resta é esperar que eventualmente venham a perceber, que quando os humanos estão naquele reboliço, não querem nada com deles, e contentarem-se em observar, sem querer tomar parte.

Choke on my RAGE!!!

Agosto 22, 2019

a aggretsuko já anda no netflix há montes de tempo, mas só agora é que nos deu para vê-la. é tão fixe!!! até que enfim, uma personagem kawaii que uma pessoa adulta não precisa de ter vergonha por identificar-se com ela muhahahah

aggretsuko

retsuko é uma panda vermelha adorável, com 25 anos, solteira e muito boa rapariga, que trabalha no departamento de contabilidade de uma grande empresa em tokyo (uma salarywoman, portanto), e descarrega a raiva acumulada dia-a-dia a berrar death metal numa sala de karaoke.

aggretsuko

com ela, vem um conjunto de personagens igualmente fofas, e todas elas a patinar nas frustrações da vida adulta. carreira, colegas, vida social, vida pessoal, e respectivos estereótipos, retratados de forma cruelmente honesta, e genialmente divertida.

grande parte da piada é uma pessoa ver aquilo, identificar-se com cenas atrás de cenas, e pensar, "foda-se! o mundo é mesmo um penico. os dramas que vivemos aqui, são os mesmos no outro lado do mundo.." é tão bom que uma pessoa até se esquece que tá a ver animação.

tá classificada para mais de 13 anos, mas duvido que alguém com menos de 20 consiga ver a puta da piada desta série 🤣

Gatinhos alinham-se

Agosto 20, 2019

na terceira semana de convívio forçado, a gatifonga já anda mais descontraída com a presença da pirralha, e com a constante invasão do seu espaço pessoal, que a outra tá sempre a meter-se com ela. e já lhe começa a fazer frente, não corre a esconder-se cada vez que a outra lhe espeta uma sarrafada, responde logo na mesma moeda.. embora aquelas patinhas adoráveis não façam mossa nenhuma no bajolo farfalhudo.

andam sempre atrás uma da outra. para onde uma vai, a outra vai atrás. às tantas já é com cada corrida nesta casa, que começo a temer pelo potencial de destruição que aqueles dois mafarricos têm.

a gatifonga parece gostar bastante de observar a outra, a brincar com tudo e mais alguma coisa. bota um ar bué presunçoso na cara, consigo imagina-la a pensar, "ricas figuras, a correr atrás do próprio rabo, que parvinha", ou "que raio as bordas do tapete têm de interessante para brincar? é mesmo palhacita", ou quando ela manda altas voos da cama, do sofá, e da árvore, "credo, coitada da criatura veio avariada das ideias" loll é especialmente notório quando a outra tá a fazer asneiras, e ela tá ali na fila da frente, a ver o circo a arder, e não faz nada.

neste fim-de-semana que passou, ficaram as duas sozinhas em casa pela primeira vez. parece que correu tudo bem. quando chegamos, estavam as duas à porta, ansiosas pelo regresso dos seus humanos de estimação. a gatifonga não estava a miar como uma desalmada, como é costume, portantos, o propósito da pirralha cumpre-se.

a sacana da pirralha é gulosa que se farta, e tá sempre a pedinchar comida. quando alguém vai à cozinha, põe-se a miar, com um miado rouco e sofrido, como se tivesse tão a desfalecer de fome, que nem forças para miar tem. se não tenho olho nas doses, não tarda nada tá obesa.. nisso são o oposto uma da outra. a gatifonga é esquisita como nunca vi e mal come, parece que tudo cheira (e sabe) a cocó..aquela, papa tudo o que lhe aparece à frente. no fim de semana então, que tivemos que deixar comida a mais, nem sabia para que lado se havia de virar…

já se tentam lamber uma à outra, ainda que muito timidamente. mas não tenho pressa nisso, até porque depois são dois gatos a vomitar bolas de pêlo, em vez de um 😑

Let's get grillin’ II

Agosto 19, 2019

depois de uma semana de "férias" forçadas da radioterapia, eis que sessões diárias retomaram. na fundação champalimaud.

ok.. aqui tenho que dar o braço a torcer. eu gosto muito do sítio, e das pessoas onde estava a fazer RT até então. mas.. ser tratada na fundação champalimaud, que tem instalações impecáveis, com equipamento de última geração, num ambiente futurista, quase sci-fi, e sem rabiscos no peito a manchar-me as blusas e a roupa da cama, foi muito, MUITO fixe. só tive pena que o pessoal lá não era dado à galhofa, o ambiente era mais sério e informal.

tive que repetir o planeamento, numa sala toda xpto, para ver se as coordenadas ainda mantinham, ou se precisava de fazer marcas novas. continuava tudo no sítio. siga!

o acelerador linear [AL] funcionava de uma forma um bocado diferente, e demorava uns minutos a mais, porque a máquina fazia sempre um TC para ver o posicionamento dos órgãos (que pelos vistos, de vez em quando movem-se) e afinar o feixe de radiação ao limite do possível, antes de cada sessão (é claro que eu pedi às técnicas para me explicarem tudinho). mais radiação, menos radiação, who cares, ninguém me ouviu queixar. muito, MUITO fixe.

depois, em vez de duas posições, fazia várias. no total, estava lá cerca de 10 minutos, mas só estava efectivamente a ser irradiada durante 2. ter aquela maquinorra colossal a rodar à minha volta, dia após dia, era uma coisa que não cessava de me fascinar.

praí no final da segunda semana de radiação no peito, usar soutien começou a tornar-se incómodo, por mais solto que o tivesse.. é que nem tive com meias-medidas, foi mesmo fuck dat shit, i’m going braless. ahhhhh a sensação de liberdade!!

o mês passou muito rápido. todas as tardes interrompia o trabalho por uma hora, e ia passear até algés, junto ao tejo, nas calmas. o percurso era praticamente a direito, e com pouco trânsito. o estacionamento da fundação fica bem a jeito da entrada do centro clínico, e a coisa fazia-se super bem. e o ambiente lá também é muito tranquilo, é um sítio muito agradável de se estar. quando fazia check-in davam-me um telemóvel, para me chamar quando chegasse a minha vez. lá não haviam batas descartáveis, todos os dias tinha uma bata em tecido à minha espera no vestiário, selada. cheguei a perguntar se tinha mesmo que vesti-la, pois só estava uns 30 segundos com ela em cima, se não podia simplesmente ir de t-shirt, mas não.. "é protocolo", disseram-me. pronto, não insisto mais.

"posso filmar uma sessão?" cravei, a dada altura. andava mortinha por fazer isso.

"claro que sim"

por acaso filmei duas, que a primeira ficou desenquadrada. editei o vídeo de 10 minutos para retirar todas as partes em que o AL estava parado, para ficar só a maquina a rodar à minha volta. é épico. estranhamente, só eu é que gosto de ver o vídeo : /

no final, recebi um relatório todo pipi, onde constam as quantidades de radiação que recebi em cada sessão, e o total da radiação que os órgãos vizinhos receberam, e mais uma porrada de dados que não sei interpretar.

os efeitos secundários que tive não foram nada de especial. o já esperado "escaldão" e a pele sensível, uma colecção de sardas nova na zona irradiada (também as ganho quando escaldo ao sol, nada de novo), inchaço (que se não fosse apenas numa mama, até seria bem vindo), e.. fiquei com a pele do mamilo descolorada.. mamas à david bowie, como apelidei o look novo (e que fez o técnico de RT descascar-se a rir).

aliás, as piadas saiam de chofre, sem pensar sequer. uma das melhores que fiz, quando após uma das primeiras sessões, uma técnica de RT estava a dar-me dicas sobre os cuidados que devia ter,

"...não se esqueça que não pode depilar a axila esquerda.. mas não se preocupe muito com isso, que o pêlo vai cair de forma permanente."

"a sério? quer dizer que isto é tipo depilação a laser?" respondi-lhe, com o ar mais clueless do mundo. a técnica tossiu-se toda, e eu parti-me a rir

“é um bocadinho mais agressivo que depilação a laser”, respondeu-me, a rir, depois de ter reparado que eu tava no gozo.

também perguntei se podia usar protector solar, para evitar a queimadura. mas às tantas, as piadas já não pegavam, que o pessoal já sabia que eu tava no gozo, bah!

o meu homem também saiu-se com uma genial, bué nerd, "tanta radiação, e ainda não te cresceu uma terceira mama!" ri-me tanto lol

o sativa m-tex foi uma excelente escolha. usei-o religiosamente até novembro (2 meses após a RT), e a pele aguentou-se muitissimo bem. um ano depois, ainda tenho um tom de pele ligeiramente mais escuro na zona irradiada, tenho alguma penugem de volta, mas ainda nada de pêlos foleiros,  e o vibe david bowie permanece, embora mais discreto.

mais umas semanas e já posso ir prá praia como vim ao mundo YAY!!

'Le me

tem idade suficiente para ter juízo, embora nem sempre pareça. algarvia desertora, plantou-se algures na capital, e vive há uma eternidade com um gajo que conheceu pelo mIRC.

no início da vida adulta foi possuída pelo espírito da internet e entregou-lhe o corpo a alma de mão beijada. é geek até à raiz do último cabelo e orgulha-se disso.

offline gosta muito de passear por aí, tirar fotografias, ver séries e filmes, e (sempre que a preguiça não a impede) gosta praticar exercício físico.

mantém uma pequena bucket list de coisas que gostava de fazer nos entretantos.

'Le liwl

era uma vez um blog cor-de-rosa que nasceu na manhã de 16 de janeiro, no longínquo ano de 2003, numa altura em que os blogs eram apenas registos pessoais, sem pretensões de coisa alguma. e assim se tem mantido.

muitas são as fases pelas quais tem passado, ao sabor dos humores da sua autora. para os mais curiosos, aqui ficam screenshots das versões anteriores:
#12   #11   #10   #9   #8   #6   #5   #4

seguir nos blogs do SAPO

email: isa@sapo.pt

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

'Le Archive

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2007
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2006
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2005
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2004
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2003
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D